publicidade

Seis empresas do setor de cimento são condenadas por formação de cartel

Cade aprovou a aplicação de multas que totalizam R$ 3,1 bilhões - maior valor dentro do processo de cartel no país

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 29/05/2014 09:14

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) condenou nessa quarta-feira (28/5), por unanimidade, um grupo de seis empresas do setor de cimento, além de associações e executivos da área, por formação de cartel — acordo ilegal que prejudica a concorrência e traz prejuízo aos consumidores. Foi aprovada, a aplicação de multas que totalizam R$ 3,1 bilhões, o maior valor dentro de um processo de cartel no país. As companhias não podem recorrer mais ao Cade, mas têm direito de tentar reverter a decisão na Justiça. Além do pagamento de multa, o Cade determinou que algumas das empresas vendam parte de seus ativos (fábricas e máquinas) a fim de permitir a entrada de novos concorrentes no mercado.

As empresas condenadas são: Votorantim Cimentos S.A., maior fabricante do produto no país; Holcim do Brasil S.A.; Intercement (antiga Camargo Corrêa Cimentos S.A.); Cimpor Cimentos do Brasil Ltda; Itabira Agro Industrial S.A; e Companhia de Cimento Itambé. Essas indústrias receberam as maiores penas. E, entre elas, a multa mais alta foi contra a Votorantim, de R$ 1,565 bilhão.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Leia mais notícias em Economia

publicidade

publicidade