publicidade

Economia norte-americana recua mais do que o previsto no primeiro trimestre

O Produto Interno Bruto (PIB) americano recuou 1% ao ano no período entre janeiro e março

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 29/05/2014 19:15

France Presse

Washington - A economia dos Estados Unidos registrou uma contração maior do que o previsto no primeiro trimestre deste ano, de acordo com a segunda estimativa do Departamento de Comércio do país, que reavaliou para baixo sua estimativa inicial nesta quinta-feira (29/5).

O Produto Interno Bruto (PIB) americano recuou 1% ao ano no período entre janeiro e março.

A média das previsões dos analistas estimava uma redução de 0,5%, enquanto o Departamento de Comércio previa um crescimento de 0,1% no primeiro trimestre.

É a primeira vez desde o primeiro trimestre de 2011 que o PIB da maior economia do mundo registrou contração.

O inverno particularmente rigoroso afetou todos os setores de atividade econômica, à exceção dos gastos de consumo, que cresceram 3,1%, estimulados pelos gastos nos serviços (+4,3%).

O retrocesso do primeiro trimestre "reflete contribuições negativas dos estoques (industriais), das exportações, do investimento nacional e estrangeiro assim como dos gastos do governo", afirmou o comunicado do Departamento de Comércio.

Entretanto, essa contração não desperta temores de recessão, definida como a queda do PIB por dois trimestres consecutivos.

Leia mais notícias em Economia

A presidente do Federal Reserve(Fed), Janet Yellen, afirmou no início de maio que os economistas esperam um crescimento mais dinâmico no segundo trimestre, de 3%, e que a economia estava "no caminho de um sólido crescimento".

A economia americana sofreu uma recessão após a crise financeira, entre dezembro de 2007 e junho de 2009.

Os resultados da reavaliação divulgados nesta quinta-feira se devem "essencialmente a uma estimativa mais baixa dos estoques das empresas", afirmou a Casa Branca em um comunicado.

De acordo com o Departamento de Comércio, as indústrias utilizaram seus estoques em vez de produzir novos bens para satisfazer a demanda. Com isso, foram perdidos 1,6 pontos de base no índice de crescimento.

O governo reiterou as dificuldades causadas por "um inverno historicamente duro" que reduziu o crescimento "provisoriamente".

"Os dados mostram que a economia se contraiu, sobretudo, devido às repercussões do mau tempo, que prejudicou a demanda e a produção no trimestre", destacou Dean Maki, analista da Barclays Research.

"A debilidade do primeiro trimestre foi alavancada por fatores climáticos", resumiu Jim O'Sullivan, economista-chefe para EUA da High Frequency Economics.

"Os números divulgados nesta quinta não mudam nossa projeção de uma recuperação do crescimento a 3% no segundo trimestre", acrescentou Maki.

Os lucros das empresas também baixaram, 9,8% em relação ao trimestre anterior.

No entanto, a recuperação dos estoques sustentam a hipótese de forte retomada no segundo trimestre.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade