publicidade

Governo negocia empréstimo adicional a distribuidoras de energia

O diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, confirmou que a última parcela do financiamento é insuficiente para quitar todos os gastos das concessionárias

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 04/06/2014 09:18

O governo admite buscar um empréstimo adicional, além dos R$ 11,2 bilhões contratadoscom um grupo de 10 bancos, para socorrer as distribuidoras de eletricidade, afetadas pela crise no abastecimento interno. O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino, confirmou ontem que a última parcela do financiamento, de R$ 2,27 bilhões, liberada pela Aneel, é insuficiente para quitar todos os gastos das concessionárias com o mercado de energia à vista no mês de abril e que serão pagos até 10 de junho. Os empréstimos foram intermediados pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), que repassa os recursos para as distribuidoras.

Leia mais notícias em Economia

Ainda faltarão cerca de R$ 450 milhões para cobrir essa conta. Nesse caso específico, a diferença será arcada pelas empresas e, posteriormente, será considerada para os cálculos de reajuste tarifário. Do empréstimo total acertado, R$ 8,9 bilhões foram para cobrir os débitos de fevereiro e março pelas distribuidoras. O valor emprestado para aliviar o caixa das distribuidoras começará a ser repassado às tarifas dos consumidores finais a partir de janeiro de 2015, nas datas dos reajustes de cada empresa.

Segundo Rufino, o governo já estuda alternativas para ajudar o setor a honrar as próximas liquidações mensais, até o fim do ano. Uma dessas hipóteses é buscar um aumento do empréstimo bancário já contratado, de R$ 11,2 bilhões.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade