publicidade

Argentina: decisão da Justiça dos EUA pode impedir pagamento de dívidas

Isso pode significar que o país poderá dar um novo calote na dívida no final do mês

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 19/06/2014 15:55

Agência Brasil

O governo da Argentina emitiu nota informando que uma decisão da Justiça dos Estados Unidos pode impedi-lo de honrar seus compromissos no dia 30 de junho. Isso pode significar que o país poderá dar um novo calote na dívida no final do mês. No próximo dia 30 de junho, a Argentina precisa pagar US$ 900 milhões. O último calote ocorreu em 2001, quando a Argentina enfrentou a pior crise econômica.

Quando saiu da última crise, os argentinos propuseram aos credores quitar os débitos com 60% de desconto. Na época, 93% aceitaram o acordo e tem recebido os pagamentos em parcelas. No entanto, os 7% restantes não aceitaram renegociar e recorreram à Justiça norte-americana e ganharam. A Suprema Corte dos Estados Unidos não aceitou o apelo do governo argentino para rever as decisões dos tribunais de primeira e segunda instância, favoráveis aos chamados “fundos abutres”, que compraram títulos "podres" da dívida, com descontos e depois recorreram à Justiça para receber o valor total.

Leia mais notícias em Economia

Se a Argentina tiver pagar o valor total, terá de desembolsar US$ 15 bilhões, mais da metade das reservas do Banco Central. A presidenta Cristina Kirchner disse que vai encontrar uma forma de pagar os credores que aceitaram renegociar a dívida.

No último dia 17, o ministro argentino da Economia, Axel Kicillof, disse que o país tentará fazer uma nova troca de títulos da dívida pública sob a lei argentina para assegurar o pagamento aos detentores de papéis reestruturados.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade