Economia
  • (3) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Assassinatos e acidentes fatais de trânsito levam 10% do PIB do Brasil Diariamente, 280 pessoas são assassinadas ou vítimas de acidentes fatais de trânsito nos centros urbanos do país. Gastos podem atingir R$ 524 bilhões com hospitais, danos materiais e perdas de produtividade somente neste ano, segundo cálculos do Ipea

Rosana Hessel

Publicação: 22/06/2014 06:35 Atualização:

A violência nos centros urbanos tem sido banalizada no Brasil apesar de os números serem cada vez mais assustadores. No país, 280 pessoas morrem diariamente em acidentes de trânsito ou em homicídios — mais do que os 239 passageiros do Boeing 777-200 da Malaysia Airlines, que desapareceu em março deste ano, causando comoção internacional.

Pelas contas de especialistas, com base em estudos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o custo dos assassinatos e dos acidentes fatais de trânsito nos centros urbanos, quando considerados os gastos hospitalares, os danos materiais e as perdas de produtividade dessas vítimas, variam de 5% a 10% do Produto Interno Bruto (PIB). Considerando que o PIB de 2014 está estimado em R$ 5,2 trilhões pelo Orçamento Federal, o valor varia de R$ 262 bilhões a R$ 524 bilhões.

Leia mais notícias em Economia

Outras estimativas, como a da Organização Mundial da Saúde (OMS), apontam que apenas as perdas com vítimas da violência urbana podem chegar a 7% da economia, que, somados a outros 5% de custos das vidas perdidas no trânsito, sobem para R$ 580 bilhões, montante próximo ao PIB de países como Chile e Finlândia. As vítimas são, em sua maioria, jovens do sexo masculino pertencentes à População Economicamente Ativa (PEA).



Guerra civil

O modelo de mobilidade adotado pelo Brasil não ajuda a estancar essas mortes, já que privilegia o transporte individual de carros e motos. “Com isso, o nível de acidentes avança de forma acelerada”, explica Julio Jacobo Waiselfisz, coordenador da Área de Estudos da Violência da Faculdade Latino Americana de Ciências Sociais (Flacso). Ele está finalizando o Mapa da Violência de 2014, o mais completo do setor, com dados de 2012.

Um balanço preliminar do estudo, que terá a sua versão integral lançada nos próximos dias, mostra que o total de homicídios em 2012 foi de 56,3 mil, acima dos 52,2 mil registrados em 2011. No trânsito, as mortes subiram de 44,5 mil para 46 mil, no mesmo período. Com isso, o total de óbitos nos centros urbanos ultrapassou 100 mil em 2012, e a expectativa é de que esse número continue aumentando, na avaliação de especialistas.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (3) comentários

Autor: João Paulo
Esse cálculo aí tá muito por baixo, acho que não consideraram além das perdas humanas, as perdas com investimentos internos e externos em comércio, indústria ,etc, além do setor de turismo também! Aí daria quase 50% do PIB de prejuízo - triste realidade! | Denuncie |

Autor: GILMAR PEREIRA
isto e muito mais devido a violencia sequida de assaltos varios comercios se fecharam outra quantidade maior deixou de abrir deixando de gerar milhoes de empregos não sei que estes governos estão esperando para dar fim nisto | Denuncie |

Autor: Alvaro Brito
Realmente é um grande desperdício de vidas, não tem PIB que pague uma vida! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas