Economia
  • (1) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Emprego tem o pior maio em 22 anos, apesar da criação de 58,8 mil vagas O número ficou abaixo de todas as expectativas, refletindo a forte desaceleração da economia. Indústria liderou as demissões. Governo acredita que pessimismo de empresários atrapalha as contratações

Vera Batista

Publicação: 25/06/2014 08:31 Atualização:

A falta de dinamismo da economia está batendo no mercado de trabalho. Em maio, foram abertas 58,8 mil vagas com carteira assinada, o pior resultado para o mês desde 1992. Em relação a igual período do ano passado, o recuo na criação de empregos com carteira assinada foi de 18,3%, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O fraco desempenho da indústria de transformação, que fechou 28,5 mil postos, comandou a frustração. O governo previa pelo menos 100 mil contratações no mês passado.

Na tentativa de mostrar otimismo, o ministro do Trabalho, Manoel Dias, disse ter esperança de que a indústria reaja, ampliando as vagas, diante da prorrogação de incentivos fiscais, anunciada na semana passada pela presidente Dilma Rousseff. Ele destacou ainda que o fraco resultado do mercado formal de trabalho em maio deve ser visto com ressalvas, uma vez que houve uma forte antecipação das contratações em fevereiro, por causa da Copa do Mundo. Muitas empresas, sobretudo do comércio, se adiantaram para treinar mão de obra e garantir bons serviços durante os jogos. Essa mesma justificativa foi apresentada para os números ruins de março e abril.

Leia mais notícias em Economia

Para o ministro, está na hora de espantar o pessimismo da economia, que está inibindo a abertura de postos de trabalho. Ele admitiu, porém, que não esperará uma mudança de postura dos empresários e vai rever, para baixo, a estimativa de criação de empregos neste ano, inicialmente entre 1,4 milhão e 1,5 milhão de vagas. “Independentemente do número menor, é importante ressaltar que o Brasil vive o pleno emprego e o que estamos vendo é uma natural demanda menor por mão de obra”, assinalou. “O atual governo criou 5 milhões de vagas. E vamos continuar criando. Mantivemos uma ótima média mensal de 123 mil postos. Apesar da falta de empregos no mundo, o Brasil mantém sua trajetória positiva”, emendou.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (1) comentários

Autor: Tarcísio Silva
Enquanto isto, a Presidenta, preocupada com a Copa, está dizendo que a mesma está dando de goleada nos pessimistas. Pode? | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas