Economia
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Políticas calcadas em distribuição de benefícios travam América Latina O continente atingiu o pior resultado desde 2009 e o Brasil ficou no nível mais baixo desde 1991

Paulo Silva Pinto

Publicação: 18/08/2014 08:09 Atualização: 18/08/2014 08:51

A Argentina, da presidente Cristina Kirchner, é vista como um dos principais exemplos de intervencionismo estatal (Norberto Duarte/AFP)
A Argentina, da presidente Cristina Kirchner, é vista como um dos principais exemplos de intervencionismo estatal


A vida anda difícil para a maior parte dos latino-americanos. E as perspectivas, ainda piores. Na semana passada, foi divulgado o Índice de Clima Econômico (ICE) de julho, elaborado em escala global com a participação, no Brasil, da Fundação Getulio Vargas (FGV). O continente atingiu o pior resultado desde 2009 e o Brasil ficou no nível mais baixo desde 1991, após despencar de 71 pontos, em abril, para apenas 55 — uma redução de 22%.

Para muita gente, a culpa é dos ventos que vêm de longe, mais precisamente dos efeitos da crise global de 2008, que teve início no mercado de crédito norte-americano e se espalhou para todo o mundo. Mas o próprio ICE contraria essa tese: no mundo houve melhora, ainda que discreta, de 3% no indicador entre abril e julho. E os nossos principais mercados, China e Estados Unidos, se destacaram, com aumento, respectivamente, de 16% e 6%.

Leia mais notícias em Economia


Para vários analistas latino-americanos, a culpa dos nossos problemas está aqui mesmo e é antiga: o persistente populismo, que envolve alguns benefícios imediatos à população e o adiamento de medidas que fariam as economias mais competitivas, favorecendo o crescimento a longo prazo. Há os que discordam dessa avaliação, afirmando que os problemas são diferentes em cada país do continente, ainda que os efeitos da crise externa afetem a todos, em maior ou menor grau.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: Marcio Oliver
Olha o intervencionismo financeiro-especulativo desfilando na avenida! Para estes mestres do saber (Financial Times, Valor Econômico, FGV..), a América Latina deveria copiar a saudável Europa na política de arrochos e afundar junto. Foram os banqueiros e grandes financistas os responsáveis pela crise | Denuncie |

Autor: JOEL OLIVEIRA
É claro que isso iria acontecer. Sou pobre, mas não quero viver a vida toda dependente de bolsas do governo. A esquerda está fazendo pior que os antecessores. Criaram uma geração inteira dependente totalmente de benefícios diretos do governo para sobreviverem. Educação que é bom, investimento fraco. | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

PUBLICIDADE

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas