publicidade

Inflação sobe 0,25 em agosto e supera teto da meta do Banco Central

Em Brasília, o IPCA cravou elevação de 0,65%, o terceiro pior resultado entre as 13 capitais pesquisadas pelo IBGE

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 05/09/2014 09:13 / atualizado em 05/09/2014 09:19

Vicente Nunes /Correio Braziliense

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) voltou a subir em agosto e, no acumulado de 12 meses, estourou o teto da meta, de 6,5%. Segundo o IBGE, o custo de vida registrou elevação de 0,25% no mês passado, taxa bastante superior ao 0,01% de julho. No acumulado do ano, o IPCA aponta alta de 4,02% e, em 12 meses, 6,51%. Esta foi a 12ª vez no governo Dilma Rousseff que a inflação rompeu o limite de tolerância definido pelo Conselho Monetário Nacional (CNM).

Leia mais noticias em Economia


De acordo com o IBGE, a inflação de agosto foi puxada pelo custo maior com empregados domésticos e energia elétrica. Somente esses dois itens responderam por 0,10 ponto percentual da inflação. Os alimentos ainda continuaram jogando a carestia para baixo, ao apontar deflação de 0,15%. Entre os grupos de preços, três foram preponderantes para a subida do IPCA: habitação, com alta de 0,94%; artigos de residência, com reajuste médio de 0,47 %; e educação, com 0,43%.

Em Brasília, o IPCA cravou elevação de 0,65%, o terceiro pior resultado entre as 13 capitais pesquisadas pelo IBGE. O índice da capital federal ficou atrás somente das taxas registradas em Belém, com alta de 0,98%, e Vitória com 0,91%.

publicidade

publicidade