SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Economia britânica resiste ao Brexit e cresce 0,5% no 3º trimestre

No entanto, o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da Grã-Bretanha registrou uma leve desaceleração entre julho e setembro na comparação com o segundo trimestre quando a economia avançou 0,7%

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/10/2016 08:45

France Presse

Londres, Reino Unido - A economia britânica cresceu 0,5% no terceiro trimestre do ano, apesar da decisão do referendo de 23 de junho de abandonar a União Europeia (UE), anunciou o Escritório Nacional de Estatísticas (ONS).

No entanto, o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da Grã-Bretanha registrou uma leve desaceleração entre julho e setembro na comparação com o segundo trimestre quando a economia avançou 0,7%. O resultado é superior à média de 0,3% das previsões dos economistas consultados pela agência Bloomberg.

"Até o momento a perspectiva de crescimento não se viu afetada pelo referendo sobre a União Europeia. E o bom resultado dos serviços permitiu compensar um recuo nos demais setores de atividade", afirma o ONS.

Leia mais notícias em Economia

Antes do referendo de 23 de junho, muitos economistas previam uma desaceleração brutal da economia em caso de vitória do Brexit.

Mas os consumidores britânicos continuaram gastando no período posterior e parecem não ter sido afetados por fatores como a desvalorização da libra ante o euro e o dólar. Muitos economistas, porém, alertam que a situação econômica do Reino Unido pode ser afetada no próximo ano, com o início das negociações formais de saída da UE.

"A primeira estimativa do PIB confirma que o referendo não provocou um choque na economia, mas as consequências negativas da votação do Brexit serão cada vez mais claras à medida que a inflação aumentar e que as empresas adiarem os investimentos nos próximos trimestres", disse Samuel Tombs, analista da Pantheon Macroeconomics.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade