SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Pente-fino faz governo cancelar 469 mil cadastros do Bolsa Família

O impacto econômico estimado, parte já para a folha de novembro, deve ficar em R$ 2,4 bilhões ao ano

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/11/2016 15:08 / atualizado em 07/11/2016 17:29

Correio Braziliense

Um pente-fino do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) encontrou inconsistências em 1,1 milhão de famílias, dos 13,9 milhões de beneficiários do Programa Bolsa Família. Desses, 469 mil famílias tiveram o benefício cancelado a partir deste mês e outras 654 mil estão com os saques bloqueados. Em todos os casos, foi constatado que a renda autodeclarada era superior à exigida para ingresso e permanência no programa.

Leia mais notícias em Economia


O resultado se deve ao cruzamento de dados autodeclarados no Cadastro Único, base para ingresso no programa social, com outros registros administrativos do governo federal. De acordo com o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, a partir deste mês os dados das famílias serão analisados previamente à concessão do benefício. “Vamos separar o joio do trigo e focar em quem realmente precisa receber”, afirmou.

As famílias que tiveram o benefício bloqueado serão notificadas por meio de extrato bancário ou pelo aplicativo da Caixa Econômica Federal. Os beneficiários que tiveram o cadastro cancelado ou pagamento bloqueado podem recorrer e apresentar documentação que comprove a renda dentro da faixa permitida pelo programa, nos próximos três meses.

O Bolsa Família é voltado para famílias em extrema pobreza, com renda per capita mensal de até R$ 85,00, e para famílias pobres, com renda per capita mensal entre R$ 85,01 e R$ 170,00.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade