SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Governo pratica atos para saída da recessão e não é infalível, diz Temer

"Eu sinto um apoio muito grande às medidas que tomamos. O Brasil não está paralisado e está fazendo o possível e impossível para sair da recessão", comentou

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/11/2016 12:06

Jos? Cruz/Ag?ncia Brasil

Em uma tentativa de criar agenda positiva e deixar a crise em torno do ministro Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo) longe do Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer afirmou nesta quinta-feira (24/11) em cerimônia de apresentação no novo cartão Construcard, que o governo está praticando atos para a saída da recessão e que "objeções são naturais" na democracia. "O governo não é infalível, na verdade acho que até agora não erramos muito, e temos apoio do Congresso Nacional", afirmou.

Temer disse ainda que o Brasil "precisa de otimismo" e afirmou que o país não está paralisado. "Eu sinto um apoio muito grande às medidas que tomamos. O Brasil não está paralisado e está fazendo o possível e impossível para sair da recessão", comentou

Leia mais notícias em Economia


O presidente voltou a exaltar a proposta de teto dos gastos da União e citou o acordo feito com governadores para tentar reduzir a crise dos Estados e disse que o Brasil é uma federação e não interessa que União corte gastos e Estados e municípios não. "Os Estados estão dispostos a também fazer ajuste fiscal", disse. "Esta havendo um diálogo tão acentuado que reforça a federação."

Temer ressaltou que após sair da recessão o país vai voltar a crescer para alcançar o seu objetivo que é a retomada do emprego "Nós temos consciência que a construção civil é o setor que mais facilmente pode gerar emprego", disse. "E gerar emprego é o que mais precisamos neste momento."

O presidente disse que as medidas que têm adotado para ajudar o setor visam "exata precisamente incrementar a construção civil". Ele citou ainda o lançamento - feito no início do mês - do Cartão Reforma e disse que o objetivo do programa "é praticar uma política social eficiente".

Incentivos


O Construcard, uma linha de crédito destinada à aquisição de material de construção, terá o orçamento de R$ 7 bilhões. O valor médio dos financiamentos é de R$ 14 mil por cliente e o limite varia conforme a capacidade de pagamento do consumidor. O cartão pode ser utilizado em qualquer loja de material de construção.

O usuário tem o prazo de dois a seis meses para comprar. Durante esse período o consumidor paga apenas os juros dos valores que utiliza. O prazo para o pagamento do financiamento é de até 240 meses.

O Construcard é uma linha de financiamento a pessoas físicas para a construção, reforma ou ampliação de imóveis residenciais. Segundo a Caixa Econômica Federal, a nova versão do Construcard tem entre as novidades a possibilidade de aquisição de aparelhos de eficiência hídrica e energética, assim como equipamentos de reutilização de água e aquecimento solar.

Os financiamentos podem ser adquiridos em qualquer agência da Caixa. Segundo o banco, já estão pré-aprovados limites de crédito para 400 mil clientes.

Segundo a Caixa Econômica Federal, a nova versão do Construcard tem entre as novidades a possibilidade de aquisição de aparelhos de eficiência hídrica e energética, assim como equipamentos de reutilização de água e aquecimento solar.

No último dia 9, Temer lançou, também em cerimônia no Palácio do Planalto, o Cartão Reforma. O programa bancará até R$ 9 mil em materiais de construção para a reforma de moradias. Conforme antecipou o Grupo Estado, não se trata de um empréstimo. O valor é 100% subsidiado pelo Tesouro Nacional e atende famílias que ganham até R$ 1.800. A contrapartida das famílias selecionadas ficará com os custos de mão de obra.

Por Agência Estado

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade