Após 4 horas, Paim encerra leitura de voto que rejeita reforma trabalhista

Relatório oficial, já lido mais cedo na Comissão, pede aprovação integral do texto vindo da Câmara com alguns vetos presidenciais

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/06/2017 16:16

Após quatro horas, o senador Paulo Paim (PT-RS) encerrou a leitura de seu voto em separado sobre a reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) no Senado. O relatório de Paim tinha 46 páginas e todas foram lidas no plenário da Comissão. Imediatamente após Paim, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) iniciou a leitura do voto, que tem 29 páginas.

Além dos dois senadores, Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Lídice da Mata (PSB-BA) também apresentarão voto em separado aos membros da CAS ainda nesta terça-feira (13/6). O documento da senadora amazonense tem 45 páginas e o da parlamentar baiana, 29 páginas. Paim, Randolfe, Vanessa e Lídice pedem rejeição integral do projeto aprovado na Câmara.
 

O voto em separado funciona, na prática, como a apresentação de um parecer alternativo que pode ou não ser apreciado pelos demais senadores. Paulo Paim e Vanessa Grazziotin usaram o mesmo procedimento na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado e os pareceres acabaram sendo ignorados pelos demais membros, já que sequer foram votados. O expediente é entendido pelos senadores governistas como uma estratégia de protelar o avanço do projeto na sessão sem ferir o regimento da Casa.

O relatório oficial produzido pelo senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), já lido mais cedo na Comissão, pede aprovação integral do texto vindo da Câmara com alguns vetos presidenciais.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Marcus
Marcus - 14 de Junho às 09:53
Temos que fechar essa (casa) de bandidos!A grande maioria são criminosos.VAMOS LIMPAR ESTE PAÍS!