Trabalhadores aproveitam dinheiro extra do FGTS para viajar

Até o terceiro lote, o FGTS trouxe algum alívio a 16,3 milhões de brasileiros.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
B?rbara Cabral/Esp. CB/D.A Press


Para os brasileiros que não tiveram dinheiro para viajar neste feriado, ainda haverá chance de planejar uma escapada até as férias de julho. Muitos dos nascidos nos meses de setembro, outubro e novembro, que, desde sábado,10, podem sacar das contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) pretendem utilizar o dinheiro extra para pôr o pé na estrada. Essa vontade de sair da rotina é um sinal positivo para a indústria do turismo, setor que vem sofrendo com a recessão no país. Afinal, foram liberados quase R$ 11 bilhões em todo o Brasil neste quarto lote. Os saques anteriores somaram R$ 27 bilhões, dos quais R$ 530 milhões só para trabalhadores do Distrito Federal.


A gerente de vendas Rosângela de Araújo, 57 anos, sonhava, há oito anos, com uma viagem à Paraíba, mas sempre faltava dinheiro e ela não conseguia concretizar os planos. “Agora vou poder, finalmente, visitar os amigos que moram em João Pessoa. E, depois, quero ir a Juazeiro, na Bahia”, disse a piauiense que mora em Brasília há 23 anos, após retirar o FGTS.

O empreendedor do setor de transportes Altemir Abreu Moura, 46, também pretende utilizar os recursos adicionais para viajar. Ele conta que enfrentou dificuldades para realizar a operação no sábado. “O caixa eletrônico informou que o recurso não estava liberado, mas, na segunda, consegui sacar normalmente. É pouco, mas nós nos alegramos. No fim do mês irei para a Bahia”, comemorou.

A personal trainer Cláudia Renata Perdiz, 52, relatou que, na primeira vez que foi à Caixa, na segunda-feira, o funcionário não conseguiu identificar o saldo, referente a uma academia em que ela trabalhou. Na quarta, quando retornou, descobriu que o recurso já havia sido transferido para a conta poupança, conforme programado anteriormente. “Esses recursos são bem-vindos. Meu irmão fará aniversário em julho e quero ir a Vila Velha (ES) para comemorar com ele”, afirmou.

Bons ventos


Para o presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens do Distrito Federal (ABAVDF), Carlos Vieira, o FGTS ajuda a trazer bons ventos, especialmente, para o mercado doméstico. “O nosso setor sentiu fortemente a crise. Viajar é a primeira opção de lazer do brasileiro, mas, também, o primeiro item a ser cortado quando o orçamento aperta. Agora, estamos sentindo um leve sopro de recuperação. Temos uma expectativa positiva com o FGTS, mas a maior procura está sendo por viagens domésticas curtas, com hospedagens mais econômicas”, ressaltou.

Segundo o Superintendente Regional da Caixa no DF, Paulo Leonel Menezes, a expectativa é de que a maioria das pessoas que têm direito ao saque exerça o seu direito. “Até o terceiro lote, foram sacados 95% do total liberado. Neste quarto lote, acreditamos que os saques continuarão no mesmo patamar”, previu. Ele recomendou que, para evitar filas, as pessoas busquem outros canais de atendimento da Caixa e não somente as agências bancárias: “Quem tem direito a até R$ 1, 5 mil, pode sacar no autoatendimento, com a senha do Cartão do Cidadão. A partir deste valor até R$ 3 mil, há a opção de sacar nas loterias, com o cartão e a senha. E quem é correntista da Caixa pode ainda optar, pela internet, pela transferência para a conta-corrente ou poupança” lembrou.

Aos que têm a receber mais de R$ 3 mil, a orientação é ter atenção aos documentos antes de se dirigir ao banco. “É importante observar se o empregador deu baixa na carteira”, informou Menezes. O auditor aposentado José Antônio Gama, 69, procurou uma agência da Caixa na última segunda-feira na esperança de retirar o saldo referente a uma universidade em que lecionou. Na hora do saque, contudo, foi surpreendido ao perceber que o empregador não havia encerrado o contrato na carteira de trabalho dele: “Agora; retornarei à universidade para pedir que dê baixa, para que eu possa sacar. Quero ajudar minha filha, que está desempregada. Ela está recém-separada, com um neném, e veio morar comigo e minha esposa.”

Até o terceiro lote, o FGTS trouxe algum alívio a 16,3 milhões de brasileiros. Outros 7,5 milhões têm direito a esse lote. Atualmente trabalhando como atendente em um restaurante, Aline Silva Alves, 28, aproveitou o saldo do FGTS para pagar dívidas. Ela se dirigiu em março a uma agência para sacar recursos remanescentes de uma pizzaria na qual trabalhou. “Fui à Caixa no primeiro dia em que os recursos foram liberados. Eu precisava tirar o meu nome do SPC”, contou.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.