Senador registra denúncia no Conselho de Ética contra ocupação

Mais cedo, as luzes do plenário foram cortadas, mas já voltaram

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/07/2017 18:09 / atualizado em 11/07/2017 18:38

O senador José Medeiros (PDT-MT) protocolou uma denúncia no Conselho de Ética contra as senadoras que ocupam o plenário desde às 11h desta terça-feira (11/7), impedindo a votação da reforma trabalhista. Ele coletou 14 assinaturas, além da dele, e pediu o uso das câmeras de filmagem do Senado para que todos os envolvidos fossem identificados. Além de parlamentares em apoio, as senadoras Gleisi Hoffmann (PT-PR), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Regina Sousa (PT-PI), Fátima Bezerra (PT-RN) e Lídice da Mata (PSB-BA) ocupam a mesa da presidência. 
 
 
Segundo Medeiros, a atitude das senadoras, que se recusam a sair da mesa há quase seis horas, configura "abuso de suas prerrogativas constitucionais". "Eu penso que o presidente tem que chegar ali e tomar uma posição e tirar elas dali. O que está acontecendo ali é o seguinte: é como se eu chegasse na presidência da República e falasse 'dá licença aí, Temer, vou sentar na cadeira agora'. Então, a gente não pode admitir isso sob o mérito que for", justificou o senador.
 

Medeiros ressaltou, ainda, que as senadoras se recusaram a sair mesmo depois que o presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE), chegou no plenário, por volta das 12h30, para ocupar a cadeira. A negativa motivou o presidente a apagar as luzes e cortar os microfones. Desde então, senadores da base e da oposição tentam negociar um acordo para que a mesa seja desocupada. Até o momento, não houve consenso.

 

Medeiros e a senadora Gleisi Hoffmann protagonizaram um bate-boca no plenário do Senado pouco depois das 18h. "Você nem voto tem, suplente", provocou a presidente do PT. Medeiros deixou o plenário.
 
 
 
A Assessoria da Casa divulgou uma nota de esclarecimento:
 
"Secretaria do Conselho de Ética do Senado recebe denúncia contra senadoras 
Foi protocolado nesta terça-feira, 11,  pelo senador José Medeiros (PSD-MT), um pedido de denúncia em desfavor das "senadoras que impediram a continuidade da sessão".  O documento solicita a "instauração de procedimento disciplinar para verificação de prática de ato incompatível com a ética e o decoro parlamentar, pelos senadores que impediram a continuidade regular da 100ª Sessão Deliberativa Extraordinária".
A denúncia é assinada por 14 senadores, como segue:
Ana Amélia (PP-RS)
Cidinho Santos (PR-MT)
Gladson Cameli (PP-AC)
Eduardo Lopes (PRB-RJ)
Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN)
Antonio Anastasia (PSDB-MG)
Elmano Férrer (PMDB-PI)
Wilder Morais (PP-GO)
Cristovam Buarque (PPS-DF)
Ciro Nogueira (PP-PI)
Romário (PODE-RJ)
Ataídes Oliveira (PSDB-TO)
Ronaldo Caiado (DEM-GO)
O presidente do Conselho de Ética, senador João Alberto Souza (PMDB- MA) ainda não tomou conhecimento do pedido de denúncia.

Esclarecimento: DENÚNCIA: feita por parlamentar
REPRESENTAÇÃO :  feita por um partido político 

Jaqueline Vieira
Assessora de Comunicação "
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.