Senadoras desocupam mesa diretora e Eunício reabre sessão

Tentativa de negociar acordo não deu resultados

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/07/2017 18:45 / atualizado em 11/07/2017 19:47

 
O presidente do Senado, Eunício Oliveira, retomou a sessão para votar a reforma trabalhista. Por volta das 18h30, o senador falou ao plenário em pé, com o microfone na mão, enquanto cinco senadoras continuavam a ocupação da mesa diretora, que começou na manhã desta terça-feira (11/7), contra a reforma. Pouco depois, as senadoras desocuparam a mesa.
 
 
Por volta de 12h30, na tentativa de dispersar a manifestação das parlamentares, Eunício mandou desligar as luzes do plenário e cortar os microfones. 

Durante a tarde, senadores da base e da oposição se reuniram para negociar um acordo. Informações divulgadas mais cedo afirmam que negociação envolvia destaque que trata do trabalho insalubre de grávidas, mas ainda não há consenso entre os parlamentares. O Planalto sinalizou, por meio do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, que o governo recusa a possibilidade de um acordo e acredita na votação da reforma trabalhista ainda nesta terça-feira.
 
O PP, PSD e DEM encaminharam votos favoráveis à reforma. O PMDB também defendeu a proposta. Para o senador Benedito de Lira (PP-AL), manter a CLT como está é "egoísmo". Já o PSB, PCdoB, PTC e Rede declararam intenção de votar contra. O senador João Capiberibe (PSB-AP) disse que a reforma é "burra, porque é recessiva".

Acompanhe ao vivo:
 
 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.