Maia volta a dizer que não fez acordo para MP da reforma trabalhista

A Casa deve voltar a discutir a pauta das reformas, como a da Previdência, após a votação da denúncia contra Temer

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/07/2017 18:21

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a afirmar nesta quinta-feira (13/7) que não fez nenhum acordo com o governo para aprovar uma medida provisória com alterações no texto da reforma trabalhista.

"Se eu não alerto que a Câmara dos Deputados não faz parte desse acordo, fica parecendo que uma MP que está sendo editada está tendo o apoio da Câmara e isso não é verdade", disse.
 
 
Horas depois de o Senado aprovar a reforma trabalhista, na terça-feira, Maia divulgou uma mensagem nas redes sociais dizendo que não colocaria em votação nenhuma medida provisória com modificações na nova lei trabalhista.

A apresentação da MP foi um compromisso assumido entre o presidente Michel Temer com os senadores para acelerar a aprovação da reforma.

Segundo Maia, o texto da reforma trabalhista sancionado nesta quinta por Temer é uma "revolução" e não pode haver "retrocessos".

"O que foi sancionado hoje é uma revolução nas relações de trabalho no Brasil. O Brasil vai sair do atraso para o moderno, nós não podemos depois de ter tido uma grande vitória no parlamento ter nenhum tipo de retrocesso", disse.

Maia também voltou a afirmar que, após a Câmara superar a votação da denúncia contra Temer, o que deve acontecer na primeira semana de agosto, a Casa deve voltar a discutir a pauta das reformas, como a da Previdência.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.