Prévia da inflação oficial fecha negativa em 0,18%, a menor em 19 anos

Essa é a menor taxa de inflação desde setembro de 1998, quando a deflação dos preços havia sido de -0,44%

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/07/2017 10:00

Tânia Rêgo/Agência Brasil
A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) fechou com variação negativa de 0,18% em julho, resultado que chega a ser 0,34 ponto percentual inferior ao resultado de junho, quando a variação foi de 0,16%.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou hoje (20/7), no Rio de Janeiro, os dados da prévia, essa é a menor variação relativa a julho, juntamente com o resultado de 2003, cuja variação também havia sido de -0,18%.

Essa é a menor taxa de inflação desde setembro de 1998, quando a deflação dos preços havia sido de -0,44%. Com a inflação negativa de julho, o IPCA-15 passou a acumular alta de 1,44% nos primeiros sete meses do ano, resultado 3,75 pontos percentuais menor do que os 5,19% referentes ao mesmo período do ano passado.

Já a inflação acumulada nos últimos doze meses fechou em 2,78%, resultado inferior aos 3,52% dos 12 meses imediatamente anteriores, o que constitui a menor variação acumulada em períodos de 12 meses desde março de 1999, quando atingiu 2,64%. Segundo o IBGE, em julho do ano passado a taxa havia variado 0,54%.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Olmir
Olmir - 20 de Julho às 15:43
Qual o palavrão para essa ocorrência, com juros, tr, selic, muito além do que seria o justo e correto, carga tributária torturante, carestia gigantesca, números fabulosos de desempregados, sistemas produtivos com baixa produção e de produtividade, crédito escassos e caros para os sistema, aumento da carga tributária anunciada para suprir a falta da contenção de gastos públicos, enormidade de ocorrências nas mídias de casos de corrupção e desperdícios, espécie de estagnação instalada, falta e precariedade de contrapartidas em qualidade, serviços e equipamentos públicos, mesmo tendo apresentado continuados crescimentos de arrecadações de impostos, ocorrência de maior em região do PR, O estado precisando de mais atenção e retribuições a ajudas enormes que tem feitas a favor do país, simples contrapartidas, são coisas essências para o progresso e evolução da ajuda ao país