Frango e batata puxam alta de preços dos supermercados nesta semana

Pesquisar é essencial para fazer economia. Levantamento do Correio mostra onde encontrar produtos de consumo diário por valores mais baixos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/07/2017 08:00 / atualizado em 22/07/2017 00:16

Bárbara Cabral/CB/D.A. Press


O peito de frango e a batata lideraram as altas de preço nos supermercados nesta semana. Enquanto na semana anterior era possível encontrar o quilo da batata por R$ 0,69, agora o consumidor não consegue comprá-lo por menos de R$ 0,89. Em alguns estabelecimentos pesquisados semanalmente pelo Correio, o produto chegou a aumentar mais de 100%.


A diferença pode ser sentida no bolso do brasiliense, que reclama dos aumentos. “A batata está cara. Mesmo sendo uma pessoa alheia aos preços dos produtos, tenho notado que ela subiu”, comentou a secretária Diray Moura, 47 anos. Para ela, a solução para economizar nas compras de casa tem sido aproveitar as promoções. “Costumo vir ao mercado em dias de promoção para comprar frutas e verduras. Só assim consigo controlar as despesas”, completou.

O preço do peito de frango está até 44% mais caro em alguns supermercados. Enquanto na semana anterior o quilo de frango podia ser encontrado por até R$ 4,99, agora o consumidor não consegue comprá-lo por menos de R$ 6,99. Mesmo com a elevação expressiva, muitos consumidores não consideram que o produto esteja caro. “O preço está acessível. Eu costumo comprar frango diariamente e já observei valores bem mais altos do que os que se veem no momento”, disse Leandro Viana, 28 anos.

O levantamento mostra que vale a pena pesquisar. Enquanto em três mercados o preço do mamão está até 11% mais caro do que na semana passada, é possível comprar a fruta até 14% mais barato em um dos estabelecimentos pesquisados. O valor do produto varia de R$ 1,89 a R$ 3,98 por quilo do tipo mais barato.

Estratégias

Os brasileiros adotam estratégias diversas para adaptar o gasto no mercado à renda familiar. “Eu tento vir em dias de promoções e estou trocando produtos de marca pelos de valor mais barato. Até deixei de comprar alguns itens de que antes não abria mão. Vale de tudo para adequar o orçamento”, disse a professora Maria Luísa Dalpai.

De acordo com o professor de finanças Marcos Melo, não basta apenas fazer pesquisa. “A palavra- chave é planejamento. O consumidor precisa fazer previamente a lista de compras com o que é essencial, com clareza sobre suas necessidades, e ficar atento às promoções, seja por internet, anúncios ou outros meios”, instruiu. Segundo Melo, é importante que as pessoas tenham controle da renda e dos gastos. “Colocar na ponta do lápis as despesas mensais e os recebimentos, rever prioridades e ter disciplina é essencial para que o consumidor possa entender a situação de suas finanças e controle o orlamento”, apontou.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.