Sete em cada dez empresários não conseguem prever quando a crise vai acabar

Empresários de micro e pequenas indústrias de São Paulo afirmam que há melhora em junho, mas vêm o cenário ainda como incerto.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/07/2017 15:21 / atualizado em 22/07/2017 16:00

Alan Petersime/Rolls Royce

Sete em cada dez empresários não conseguem prever quando a crise vai acabar, segundo levantamento feito pelo Datafolha a pedido do Sindicato da Micro e Pequena Indústria do Estado de São Paulo (Simpi). O empresariado paulista considera que a situação da indústria melhorou em junho, mas o cenário ainda é turbulento.

 

Na pesquisa, 67% dos entrevistados dizem que a situação dos próprios negócios está regular, ruim ou péssima. São 34% que estão satisfeitos. No Brasil, 42% das micro e pequenas indústrias ficam em São Paulo.

 

Leia mais notícias de Economia

 

Os resultados, porém, são melhores que o mês de maio, quando 29% empresários disseram que o empreendimento estava bom ou ótimo, 32% regular e 39% ruim ou péssimo. A melhora pode ser relacionada com os indicadores de faturamento, que tiveram alta. Para 27% dos entrevistados, a receita foi ótima ou boa, frente aos 19% verificados no mês de maio.

 

Apesar dos resultados positivos, 71% afirmam que a crise ainda é forte. Joseph Couri, presidente do Simpi, destaca que ainda não é possível fazer previsões enquanto as medidas do governo não atingirem o mercado. “Hoje, a micro e pequena indústria se mantém no escuro, numa base econômica deteriorada. As melhoras no mês de junho foram pontuais, porque o cenário permanece negativo. O número de demissões segue superando o de contratações e ainda há ausência de crédito no mercado”, declara.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.