Correio debate combate ao contrabando e à falsificação no país

Em 2016, as atividades criminosas geraram perdas para o país da ordem de R$ 130 bilhões, aponta o Fórum Nacional Contra a Pirataria e Ilegalidade (FNCP). Só com cigarros, a evasão fiscal entre 2011 e 2016 soma R$ 30,2 bilhões

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/08/2017 17:21 / atualizado em 09/08/2017 17:41

Marcelo Camargo/Agencia Brasil
O contrabando e as falsificações foram responsáveis por perdas de R$ 130 bilhões ao país no ano passado. Apenas com contrabando de cigarros, a evasão fiscal acumulada entre 2011 e 2016 somou R$ 30,2 bilhões. Para debater formas mais eficientes de combater a pirataria no Brasil, a Frente Parlamentar Mista de Combate ao Contrabando e à Falsificação e o Movimento em Defesa do Mercado Legal Brasileiro, coordenado pelo Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO) e o Fórum Nacional Contra a Pirataria e a Ilegalidade (FNCP), em conjunto com mais de 70 entidades empresariais e organizações da sociedade civil, lançaram, em parceria com o governo federal, a campanha "O Brasil que nós queremos".


Leia mais notícias em Economia

Com as presenças do ministro da Justiça e Segurança Pública, Torquato Jardim, do deputado Efraim Filho (DEM/PB), do ministro do Tribunal de Contas da União José Augusto Nardes e do coordenador do Movimento Mercado Legal, Edson Vismona, a campanha será debatida em seminário na terça-feira, 15, no auditório do Correio Braziliense, com inscrições gratuitas pelo email defesamercadolegal@gmail.com. 

Para o deputado Efraim Filho, o tema é relevante porque está ligado não só à segurança pública, mas também ao equilíbrio fiscal do país. "Estamos oferecendo ao governo uma alternativa para melhorar a arrecadação sem aumentar impostos. O contrabando é um crime é nocivo para a sociedade porque deteriora o mercado formal de trabalho, financia o narcotráfico e prejudica o ambiente de negócios", enumerou. "É imprescindível que o governo tenha mais rigor no seu combate", acrescentou.

O coordenador do Mercado Legal, Edson Vismona, explicou que os recursos do contrabando financiam o crime organizado. "Nós defendemos a adoção de ações sistêmicas e sistemáticas de integração das forças que atuam nas fronteiras do país para coibir a prática", afirmou. 


Serviço

O que: Seminário “O Brasil que nós queremos: unidos pelo fim do contrabando e da criminalidade”

Quem
Presenças confirmadas: Torquato Jardim, ministro da Justiça e Segurança Pública, Torquato Jardim Efraim Filho, presidente da Frente Parlamentar Mista de Combate ao Contrabando e à Falsificação Edson Vismona, coordenador do Movimento em Defesa do Mercado Legal
Mauri König, jornalista e diretor da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo
João Augusto Nardes, ministro do Tribunal de Contas da União

Quando
Terça-feira (15/8)

Onde
Auditório do Correio Braziliense
Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 2, número 340

Inscrições
Gratuitas até 11 de agosto pelo email defesamercadolegal@gmail.com.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.