Vendas do varejo ampliado sobem 0,20% em julho ante junho, revela IBGE

Para analistas, os resultados já demonstram que o pior ficou para trás

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/09/2017 09:46 / atualizado em 12/09/2017 12:38

Barbara Cabral/Esp. CB/D.A Press
O terceiro trimestre não começou bem para o varejo. Após um crescimento de 2,2% no acumulado do segundo trimestre, as vendas no comércio estagnaram (0,0%) em julho na comparação com junho. Apesar da desaceleração na margem, as negociações de bens subiram 3,1% em relação ao mesmo período de 2016, segundo dados da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada nesta terça-feira (12/9). Para analistas, os resultados já demonstram que o pior ficou para trás. 
 
Entre janeiro e julho, as vendas no comércio varejista subiram 0,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. É a primeira vez que o resultado fica em terreno positivo em 2017, o que corrobora as expectativas de analistas de alta para este ano, após dois anos de contração. No acumulado em 12 meses, o setor ainda registra registrou queda nas vendas, de 2,3%. Apesar do desempenho, é o menor recuo desde setembro de 2015.
 
O resultado na margem do setor foi puxado pela retração nas vendas de combustíveis e lubrificantes, atividade que apresentou queda de 1,6% nas negociações. O desempenho é um reflexo do aumento da alíquota de PIS/Cofins sobre a gasolina. Outros setores que jogaram contra um resultado positivo no mês foram: o de móveis e eletrodomésticos, que estagnou após um crescimento de 2,1% em junho; e o de tecidos, vestuários e calçados, que subiu apenas 0,3%, bem aquém do crescimento obtido no mês anterior, de 6,1%.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.