Para presidente do BC, investimentos são a chave para o crescimento do país

Ilan Goldfajn afirmou nesta quarta-feira (20/9) que a economia brasileira está se recuperando gradualmente, após dois anos de recessão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/09/2017 11:45 / atualizado em 20/09/2017 19:01

Wilson Dias/Agência Brasil
Continuando a série de compromissos em Nova Iorque, nos Estados Unidos, o presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, afirmou nesta quarta-feira (20/9) que a economia brasileira está se recuperando gradualmente, após dois anos de recessão e que o próximo passo  para um crescimento sustentável e equilibrado virá de novos investimentos, especialmente em infraestrutura. 

No seminário promovido pelo jornal britânico Financial Times, Goldfjan repetiu boa parte do discurso que fez ontem para investidores e ressaltou oportunidades, estratégias e mecanismos de financiamento para investimentos em infraestrutura, principalmente nas áreas de transportes e energia.  “Os esforços do governo em infraestrutura e nas privatizações são fundamentais para o crescimento sustentável”, afirmou.

De acordo com o presidente do BC, o gatilho para a retomada da atividade foi o aumento no poder de consumo das famílias. Ele ressaltou o resultado positivo do Produto Interno Bruto (PIB), e afirmou que há perspectiva de crescimento no próximo trimestre do ano. "A tendência de aumento no consumo tende a ser resiliente, porque é baseada em um ganho de renda permanente e na desalavancagem das famílias nos últimos dois anos", comentou.

Apesar de não ter comentado sobre os próximos passos passos de política monetária, ontem,Goldfajn reforçou que considera apropriada a desaceleração no ritmo de cortes na taxa básica de juros, a Selic, para a próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), marcada para o fim de outubro, quando devem reduzir a taxa em 0,75%.  Ao mesmo tempo, Ilan pontuou que esse ciclo de flexibilização seguirá dependendo da atividade econômica, do balanço de riscos, de reavaliações sobre a extensão do ciclo e de projeções e expectativas para a inflação.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.