Petróleo dispara por ameaça turca ao Curdistão iraquiano

O barril de light sweet crude (WTI) para entrega em novembro subiu 1,56 dólar, a 52,22 dólares no New York Mercantile Exchange (Nymex) e atingiu seu melhor preço desde meados de abril

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 25/09/2017 18:20

O petróleo fechou com forte alta nesta segunda-feira (25/9) influenciado pelas ameaças da Turquia de bloquear as exportações do Curdistão iraquiano.

O barril de light sweet crude (WTI) para entrega em novembro subiu 1,56 dólar, a 52,22 dólares no New York Mercantile Exchange (Nymex) e atingiu seu melhor preço desde meados de abril.


Em Londres, o barril de Brent para novembro alcançou seu maior valor desde julho de 2015, ao fechar a 59,02 dólares depois de avançar 2,16 dólares em relação a sexta-feira (+3,80%).

O presidente turco Recep Tayyip Erdogan ameaçou nesta segunda-feira os curdos do Iraque com o impedimento nesta semana da passagem de suas exportações. Essa foi a resposta de Ancara à organização de um referendo pela independência dessa região, que produz em média 600.000 barris por dia.

 

Leia mais notícias em Economia

 

Para Matt Smith, da ClipperDatta, essa ameaça turca foi o principal motivo de inquietude do mercado. "Maiores riscos de instabilidade política na região não foram realmente levados em conta pelos investidores já que eles não apostam no longo prazo", explicou.

O Iraque pediu na sexta-feira que parem de comprar petróleo dos curdos do Iraque. "Se esse pedido de boicote tiver sucesso, afetará pelo menos 500.000 barris no mercado", calcularam analistas do Commerzbank.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.