Empresários fazem manifesto pela retomada do debate da Previdência

O grupo aposta, no entanto, que, se o governo tiver habilidade política para "arrefecer os ânimos", há possibilidade real de se retomar a discussão sobre a reforma

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/09/2017 17:24

Um grupo de empresários, economistas, pesquisadores e profissionais liberais organizou um manifesto favorável à retomada das discussões da reforma da Previdência. Os integrantes do "Renova Previdência" estão desde a terça-feira (26/9), em Brasília fazendo um corpo a corpo com líderes partidários para tentar convencê-los a votar a proposta. 

Apesar do esforço, a percepção até o momento é de que a denúncia contra o presidente Michel Temer e a aproximação do período eleitoral são grandes entraves. O grupo, que se diz "suprapartidário", pretende entregar uma carta ainda nesta quarta-feira (27/9), ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pedindo a retomada das discussões sobre a reforma. A intenção do Renova Previdência é contrapor os grupos de pressão contrários à mudança nas regras de aposentadoria e pensão no País, principalmente funcionários públicos.

Os integrantes do grupo estão reunidos na Câmara dos Deputados e questionam os parlamentares sobre os motivos de eles não quererem votar a favor. A impressão dos representantes do Renova Previdência é que muitos resistem em bater de frente com as categorias em meio ao complicado cenário político.

O grupo aposta, no entanto, que, se o governo tiver habilidade política para "arrefecer os ânimos", há possibilidade real de se retomar a discussão sobre a reforma, paralisada desde maio deste ano. 

"Sem a reforma da Previdência, o gasto com seguridade social irá consumir toda arrecadação do orçamento federal, comprometendo a capacidade de investir em Educação, Transporte, Saúde e Segurança. O governo será menos eficiente e a população mais pobre será a mais prejudicada", diz o manifesto.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.