Vendas no comércio oscilam e recuam 0,5% em agosto, aponta IBGE

Apesar do desempenho negativo, a atividade acumula um crescimento de 0,7% no ano

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/10/2017 11:51

Ed Alves/CB/D.A Press
 
O varejo está oscilando. Após resultados de alta nas vendas em junho, e estabilidade em julho, as negociações de bens recuaram 0,5% na comparação com o mês imediatamente anterior. É o que aponta a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada nesta quarta-feira (11/10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Apesar do desempenho negativo, a atividade acumula um crescimento de 0,7% no ano. 

A queda em agosto foi puxada por recuo acentuado na venda de combustíveis e lubrificantes, de 2,9%, e pela retração de 0,3% nas negociações em comércios de hiper, supermercados, produtos alimentícios e fumo. Outros segmentos que se destacaram negativamente foram os de tecidos, vestuários e calçados (-3,4%), e o de equipamentos e materiais para escritório (-6,7%). 

Embora as vendas tenham recuado na margem, elas subiram na comparação interanual, ou seja, contra igual período do ano anterior. Em relação a agosto de 2016, as negociações de bens no comércio subiram 3,6%. Tal desempenho ajudou o processo de recuo da PMC no acumulado em 12 meses. Nessa relação, o indicador apresenta a menor queda desde agosto de 2015. 

Para especialistas, os resultados no acumulado em 12 meses e na comparação interanual mostram que, apesar da oscilação do desempenho das vendas na margem, o setor está se recuperando. A desaceleração da inflação, bem como a redução dos juros e o consequente barateamento do crédito, estão auxiliando no processo gradual de retomada do consumo. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.