Abear contesta pesquisas que revelam aumento nos preços de passagens aéreas

A Abear, que foi a principal defensora da separação das bagagens das tarifas, verificou uma queda entre 7% e 30% nos valores ofertados até setembro. O IBGE e a FGV discordam

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/10/2017 19:35 / atualizado em 15/10/2017 20:31

Luis Nova/Esp. CB/D.A Press

A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) disse que, sim, os preços das passagens caíram nos aeroportos depois que as bagagens foram cobradas "por fora" do valor da tarifa. A resposta vem depois da divulgação de dois levantamentos que chegaram à conclusão contrária.


Entre junho e setembro, a alta nos preços chegou a 35,9%,pelos dados da pesquisa da Fudança Getúlio Vargas, e a 16,9%, nos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A Abear, que foi a principal defensora da separação das bagagens das tarifas, verificou, porém, uma queda entre 7% e 30% nos valores.

Leia mais notícias de Economia

 

Os dados contraditórios chamou a atenção do governo. O Ministério da Justiça vai averiguar o estudo da Abear. A entidade informou que "respeita" todas as metodologias de levantamento, mas entende que há diferenças entre os critérios utilizados. "São amostras que coletam dados dos sites das companhias aéreas em diferentes períodos e em alguns trechos. São bilhetes ofertados, não necessariamente vendidos", comunicou.

 

"Esse levantamento foi feito a partir de uma média da amostra de tarifas efetivamente comercializadas, de acordo com a rota, os prazos fornecidos por cada empresa aérea e diferentes períodos de antecedência de compra", completou a Abear. 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.