Aneel confirma que energia ficará mais cara em novembro

A bandeira tarifária será vermelha com custo de R$5 a cada 100 quilowatts-hora (kW/h) consumidos. É hora de economizar

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/10/2017 18:29 / atualizado em 27/10/2017 18:34

Reprodução
 
A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) confirmou, nesta sexta-feira (27/10), que a fatura de energia vai ficar mais cara no mês que vem. A bandeira tarifária para o mês de novembro deste ano será vermelha no patamar 2, com custo de R$5 a cada 100 quilowatts-hora (kW/h) consumidos.

A justificativa do órgão regulador é que não houve evolução na situação dos reservatórios das usinas hidrelétricas em relação ao mês anterior. "Ainda que não haja risco de desabastecimento de energia elétrica, é preciso reforçar as ações relacionadas ao uso consciente e combate ao desperdício", afirmou.

Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

As bandeiras tarifárias variam para sinalizar ao consumidor quando é hora de economizar energia, como é o caso atual, já que o patamar 2 indica a necessidade de operar usinas térmicas mais caras para compensar a geração hidráulica inibida pela falta de chuvas. 

Aprimoramento


Na última terça-feira (24/10) foi aprovada audiência pública para discutir a revisão da metodologia das bandeiras tarifárias e dos valores de suas faixas de acionamento. A proposta é de bandeira amarela no valor de R$ 1; bandeira vermelha no patamar 1, R$ 3; e vermelha no patamar 2, R$ 5, a cada 100 kWh consumidos e frações. 
Tags: aneel energia luz
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.