Clima é mais favorável para a reforma tributária, diz deputado Izalci Lucas

Em evento realizado pelo Correio, deputado disse que é mais fácil a reforma tributária ser aprovada do que a reforma da previdência

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/11/2017 12:39 / atualizado em 14/11/2017 18:08

Minervino Junior/CB/DA Press
 
Durante o 'Correio Debate – Os avanços do Simples Nacional', ocorrido na manhã desta terça-feira (14/11) no auditório do jornal, o deputado federal Izalci Lucas (PSDB/DF) afirmou que tudo caminha para a aprovação da reforma tributária na Câmara dos Deputados. 
 

Segundo Izalci, a mudança é unanimidade no Brasil inteiro. "Há um clima mais favorável na Câmara e é mais fácil a reforma tributária ser aprovada do que a reforma da previdência”, afirmou. 

Também presente no evento, o senador José Pimentel (PT-CE) disse que a Câmara tem a sua própria pauta e que o governo não pode decidir o que vai ou não a plenário. "O governo ilegítimo sabe que a sua validade é pouca e, por isso, tenta atropelar o projeto que vinha com o crescimento econômico e inclusão social de distribuição de renda com a sua agenda que se chama uma pinguela”, acusou. 

Pimentel ainda acrescentou que o problema da reforma tributária está no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS).

Refis para as micros

Responsáveis por cerca de 98% das empresas no país e por 57% do emprego formal, as micros e pequenas empresas foram vetadas do Refis, sancionado em 25 de outubro pelo presidente Michel Temer. A Medida Provisória concede descontos de multas e juros e permite o parcelamento de dívidas de empresas com a Receita Federal.

Diante desse cenário, lideranças empresariais e políticas debateram a necessidade de instituir cooperativas de financiamento de crédito para os micros e pequenos empreendimentos.

O senador José Pimentel lamentou o veto do presidente Temer. “É evidente que esse governo só governa e tem olhos para as grandes empresas e os empresários mais ricos”, disse. De acordo com o petista, é preciso correr muito para aprovar as mudanças no Simples Nacional ainda neste final de ano.

Durante o debate, o presidente do Sebrae Nacional, Guilherme Afif Domingos, anunciou que chegou a um acordo antecipado, para evitar um novo veto, com a Receita Federal para a criação da empresa de Simples de Crédito.

Ao final do evento, o presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), Francisco Honório Pinheiro, afirmou que as empresas do Simples Nacional não podem ficar de fora do Refis. “Esse evento foi um avanço muito grande, que não para por aqui, para mostrar a importância das micros e pequenas empresas”, defende.
 

Assista ao Correio Debate – Os avanços do Simples Nacional

 

 

 

 
 
* Estagiário sob supervisão de Anderson Costolli
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.