Temer vai ao Forum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça

Organizadores estão preparando um jantar para Temer e empresários no dia 24 de janeiro. Fontes do governo dizem que há forte procura de investidores para se encontrarem com o presidente

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/01/2018 14:39

	Ed Alves/CB/D.A Press

 

O presidente Michel Temer obteve o sinal verde do médico para poder viajar para a Suíça para participar do encontro anual do Fórum Econômico Mundial (WEF, na sigla em inglês), no resort de Davos, apenas no dia 24 de janeiro. A equipe está animada com a ida do peemedebista ao encontro de empresários globais, porque ele será o primeiro presidente brasileiro no evento depois de quatro anos. A última vez que um presidente brasileiro foi ao evento ocorreu em 2014, durante o primeiro mandato de Dilma Rousseff.



A 48ª edição do Forum em Davos começa dia 23 e termina no dia 26, devendo reunir cerca de dois mil líderes globais, inclusive, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O principal tema das discussões do encontro é “Criando um futuro compartilhado em mundo fragmentado”.

 

Leia as últimas notícias de Economia

 

Há vários pedidos de empresários para encontro com ele, segundo fontes palacianas. Para eles, Temer e seus ministros terão muito a mostrar para investidores estrangeiros em Davos, porque a economia está se recuperando e a expectativa do governo é alavancar o interesse para os leilões do Programa de Parcerias de Investimento (PPI) deste ano.

O presidente deverá em Davos chegar dia 23 à noite e só participará da programação do evento no dia 24. Ele deverá fazer um discurso sobre a situação econômica do Brasil nesse dia, e, de acordo com os organizadores é uma das idas mais aguardadas. Segundo fontes do governo, a organização do Fórum está preparando um jantar com o presidente Temer e empresários globais, no dia 24. O retorno de Temer ao Brasil está previsto para o dia 25, mas ele não terá agenda oficial na Suíça.

A princípio, devem compor a comitiva brasileira os ministros Henrique Meirelles (Fazenda) e Moreira Franco (secretaria-geral da Presidência da República) e o presidente da Agência Brasileira de Promoção ao Investimento (Apex), Roberto Jaguaribe, que está assessorando as equipes dos ministros que devem ir ao evento. A agenda dos ministros ao longo da semana ainda não está totalmente fechada.

Jaguaribe e Meirelles, aliás, estiveram reunidos na manhã desta quarta-feira (10/01) para acertarem os ponteiros sobre o Forum de Davos. O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, não irá a Davos neste ano, porque tem agenda no Brasil. No ano passado, ele participou do evento. O Itamaraty ainda não havia confirmado a ida do ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.