Padre pioneiro lembra como era a cidade

O padre Nei Nelson é o primeiro padre nascido em Ceilândia a comandar uma capela da cidade. Ele se orgulha de hoje ser um dos nomes da Igreja Católica

postado em 27/03/2017 05:59 / atualizado em 27/03/2017 11:06

Bruno Peres/Esp. CB/D.A Press
Com 46 anos de idade, Ceilândia começa a ver os primeiros filhos ocuparem todos os setores sociais: no esporte, na cultura ou na religião. A geração de pessoas nascidas no local mantém tradições de suas famílias e cria uma nova rotina para a cidade que surgiu como um programa de erradicação de invasões.

Um dos filhos mais conhecidos é o padre Nei Nelson, da capela Sagrado Coração de Jesus. O religioso, que procura estar sempre próximo da comunidade, é irmão do vocalista Japão, do grupo de rap Viela 17. O sacerdote é o primeiro padre nascido em Ceilândia a comandar uma capela da cidade.

Padre Nei Nelson, filho de nordestinos, é integrante de uma família com seis irmãos. Enquanto ele seguiu a vida religiosa, um dos irmãos resolveu ser cantor de rap. Ambos obtiveram sucesso nas áreas que escolheram. O grupo Viela 17 é um dos mais conhecidos do Distrito Federal. Nei Nelson acompanha o trabalho do irmão e considera que tanto a atuação da igreja quanto o rap são importantes para os moradores da cidade.

“Minha mãe chegou aqui em busca de uma vida melhor, assim como muitas pessoas vindas do Nordeste. Nós somos seis irmãos, todos com muita fé. Mas, de todos, eu fui o que decidiu seguir o caminho do sacerdócio. Morei em várias regiões de Ceilândia, estudei nas escolas públicas da cidade. Ao longo da vida, eu vi essa cidade crescer, se expandir. Infelizmente, alguns problemas cresceram também, como a violência. Mas esse é um povo trabalhador, que batalha pelas suas conquistas”, afirma o padre.

A Feira Central da Ceilândia é um dos locais preferidos do padre para ficar com os fiéis. Não é incomum encontrar o sacerdote entre os corredores da feira realizando missas, seja durante eventos ou por iniciativa própria da igreja. O religioso entrou no processo para tornar-se padre em 1999. Diferentemente do que muitas pessoas pensam, não basta realizar os estudos bíblicos. Um padre precisa se dedicar para a carga teórica de anos que se aprende durante o curso. Aos 38 anos, Nei Nelson é graduado em filosofia e sociologia.



Nelson se orgulha de ter crescido na cidade e hoje ser um dos nomes da Igreja Católica. “A cidade é muita rica em cultura, esporte, eventos que expressam as mais diversas tradições. Temos grupos de rap conhecidos em todo o país, como o do meu irmão, que, desde pequeno, já dançava breaking. Às vezes, a realidade do Sol Nascente e do Pôr do Sol me assusta. São comunidades com muitas necessidades, mas que têm uma população que corre atrás do que precisa”, completa Nei.

Paixão pelo futebol


Apesar dos anos e da agenda cheia para cuidar da igreja, ouvir fiéis e realizar missas, o padre não deixa de lado sua paixão: o futebol. Torcedor do Vasco da Gama, o religioso está sempre acompanhando o futebol nacional. “Tenho muito orgulho de torcer para o Vasco. O futebol é uma das coisas que eu tenho prazer em acompanhar na minha vida. Mas confesso também que sou quadrilheiro de família. Além do São João aqui da igreja. O povo nordestino tem uma cultura muito viva e eu não deixei minhas raízes.

Atualmente a Ceilândia tem 18 paróquias e um total de 29 sacerdotes. Há três anos responsável pela capela da região, o padre Nei ganhou fama na comunidade. O garoto que corria pelas ruas da Expansão do Setor O se tornou padre e atrai multidões em suas missas, seja dentro da igreja, ou em meio à comunidade.


publicidade