SIGA O
Correio Braziliense

Cinco gerações de amor à natureza pregam o vegetarianismo

Advogado Ulisses Riedel, 82 anos, deu início a prática com seus familiares e consumidores

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/04/2016 12:30 / atualizado em 21/04/2016 18:47

Marina Adorno - Especial para o Correio

Vinícius Santa Rosa/Esp. CB/D.A Press

A família do advogado Ulisses Riedel, 82 anos, compartilha o mesmo hábito alimentar. São cinco gerações de vegetarianos — e recentemente alguns familiares aderiram ao veganismo. Tudo começou quando a mãe de Ulisses, Olga Riedel, foi conhecer um abatedouro. “Aos 14 anos minha mãe e minhas tias, que sempre gostaram de carne, decidiram procurar um abatedouro para comprar a carne diretamente lá. Elas acharam que a qualidade da carne seria melhor, porém ficaram espantadas diante da crueldade com os animais”, conta Ulisses. Depois dessa visita, a mãe e as tias optaram por parar de comer carne vermelha, frango ou peixe.

Quando Ulisses nasceu, Olga já era vegetariana há 10 anos e seu pai também já tinha aderido a essa ideologia. O advogado nunca provou carne, peixe ou frango. No caso de sua família, a restrição não foi motivada por questões espirituais, ou de saúde — isso foi uma consequência —, mas em respeito aos animais e à vida. “Fui criado dentro daquela ideia de que era maldade matar os animais e desenvolvi uma repulsa natural à carne. Não gostava nem de passar perto de açougues, mas meus pais aceitariam caso eu quisesse seguir outro caminho. Eu me esforcei para passar o mesmo ideal de liberdade e amor para os meus filhos”, explica. Os sete filhos, 26 netos e cinco bisnetos são vegetarianos.

O neto Rogério Fontes, 29 anos, ressalta que eles sempre conversaram muito sobre o assunto e ele tem orgulho de ter sido criado dessa maneira, com o ideal de respeito ao próximo acima de tudo. Rogério também nunca provou carnes e confessa sentir um pouco de nojo. “Eu não vejo como alimento, realmente vejo como uma coisa ruim”, defende. Há quatro anos, ele foi ao Congresso Mundial de Vegetarianismo e acabou conhecendo mais sobre o veganismo. Pouco tempo depois, aderiu ao novo hábito. Depois que explicou para o avô o que aprendeu, Ulisses também aderiu ao veganismo. “A minha saúde melhorou muito, perdi muita gordura e ganhei mais disposição para realizar as minhas atividades do dia a dia”, acrescenta Rogério. O patriarca, Ulisses, sente orgulho em presenciar a convicção dos familiares. Para ele, é uma alegria ver que o ensinamento que ele herdou dos pais e passou para as outras gerações foi muito bem recebido.

A família hoje tem um restaurante de comida vegetariana. Além disso, fez história no direito. O escritório hoje fica a cargo dos filhos e netos, vários deles advogados. Já Ulisses dedica-se à União Planetária, uma organização que prega a paz mundial.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade