publicidade

Com 12 filmes, a Mostra Brasília abre espaço para produções da cidade

Entre os realizadores estão jovens e cineastas consagrados, como Vladimir Carvalho

postado em 24/09/2016 09:12 / atualizado em 24/09/2016 09:25

Alexandre de Paula - Especial para o Correio /



Reunindo jovens diretores e medalhões do cinema brasiliense, a Mostra Brasília, que ocorre paralelamente à competitiva, ganhou número maior de longas, nesta edição do Festival, e foi condensada em um fim de semana, no Cine Brasília. Com exibições hoje e amanhã às 11h, 14h e 16h30.

Com 10 categorias, seis longas e seis curtas foram selecionados, entre 57 inscritos. Serão distribuídos R$ 200 mil em prêmios para os vencedores. Nos longas, por exemplo, a curadoria foi de estreantes na narrativa de fôlego, como Santiago Dellape, a veteranos, como Vladimir Carvalho.

Organizador do festival, Sérgio Fidalgo ressalta a importância da mostra para permitir que as produções da cidade ganhem espaço e sejam apresentadas. “Ela foi criada para dar visibilidade ao escoamento da produção do Distrito Federal”, conta. “Hoje temos uma mostra bastante enxuta, com os mais significativos filmes e com o melhor da produção do ano”, acredita.

Renomado e premiado cineasta brasiliense, Vladimir Carvalho valorizou a mostra, importante por dar palco às produções da cidade, e elogiou a nova geração de realizadores da capital. “Essa geração é extraordinariamente competente e vem revelando outro país, outro estado de espírito, outro olhar. É o novo nascendo de novo”, diz Carvalho.

Filmes


Das raízes às pontas
De Flora Egécia (Hoje, às 11h)

Juraçu
Do Coletivo Brôa-de-Milho (Hoje, às 14h)

Vesti la giubba
de Johil Carvalho (Hoje, às 16h30)

O luto
De João Gabriel Caffarelli e Saulo Santos (Amanhã, às 11h)

A festa dos encantados
De Masanori Ohashy (Amanhã, às 14h)

Rosinha
De Gui Campos (Amanhã, às 16h30)

Últimas Notícias

Últimas Notícias Veja Mais

* * *