Verão BSB

publicidade

Quando a busca pelo bronzeado perfeito vira um pesadelo

Quando exposto a um calor intenso, o corpo mantém a temperatura interna por meio da transpiração. Quando está muito quente, essa ação fica limitada e leva à insolação e à desidratação

postado em 02/02/2017 13:21 / atualizado em 03/02/2017 21:56

Sol, praia, verão… Nada melhor do que estender a canga, relaxar e esperar a pele começar a ficar dourada. Mas, para isso ser feito com segurança, é preciso ter cuidado ao tomar sol, especialmente em uma época do ano em que os casos de insolação e desidratação se tornam mais frequentes. Quando se exagera na exposição ao calor intenso, pode ser desencadeado um quadro de insolação, acompanhado de queimaduras leves, moderadas ou graves. E lá se vai o verão pelo ralo...
 
O médico dermatologista André Marinho, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica e da American Academy of Dermatology, ressalta que os casos tendem a aumentar neste período do ano devido à intensidade da radiação e às altas temperaturas do ambiente.
 
"Acontece muito por descuido, pois muitas pessoas se expõem demais ao sol, cochilam ou ingerem bebida alcoólica em excesso, o que acelera a perda de água do organismo”, explica. Com sintomas que variam de queimaduras à taquicardias, a insolação e a desidratação tendem a vir juntas quando provocadas pelos exageros. “É importante ingerir bastante líquido e evitar os horários de sol e de calor mais intensos”, completa.
 
Valdo Virgo/CB/D.A Press
 
*Estagiária sob supervisão de Anderson Costolli