FORMAçãO »

A nova graduação do IFB

Instituto lança curso superior de tecnologia de sistemas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/02/2017 16:31 / atualizado em 28/02/2017 16:16

Gabriela Studart

Estudante de licenciatura em computação da Universidade de Brasília (UnB), Luísa Menezes, 22 anos, deixará a graduação apostando fichas numa formação inédita do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (IFB): o curso superior tecnológico em sistemas para internet. As aulas da turma inaugural, com 30 alunos, começam na próxima quinta-feira (2). Concorrendo com outros 912 candidatos, Luísa foi a primeira colocada no processo seletivo por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que leva em consideração a nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em que a jovem tirou 735,63 pontos na parte objetiva e 880, na redação. “O que mais gosto é de desenvolver para a internet. Quando soube do novo curso, verifiquei o projeto pedagógico, li toda a ementa das disciplinas e me interessei”, comenta ela, que fez o ensino médio no Colégio Ari de Sá Cavalcante, em Fortaleza, e chegou a trabalhar por um período na área de informática na empresa do pai. Após a surpresa da pontuação e da aprovação em primeiro lugar, ela entrou em contato com o IFB para aproveitar disciplinas cursadas anteriormente na UnB e está animada com as possibilidades do curso.


O grande diferencial da formação tecnológica em sistemas para internet é que a capacitação explora diferentes técnicas de linguagens de programação e engenharia de software, design de páginas de internet e redes de computadores. Tudo isso de forma bastante intensa, pois o curso é mais compacto: dura dois anos e meio. Esse é um dos motivos pelos quais graduações da modalidade tecnológica têm atraído cada vez mais estudantes interessados em ingressar na vida profissional com maior rapidez. De acordo com o projeto pedagógico do IFB, que previa a existência do curso de sistemas para internet em seu plano de desenvolvimento institucional, graduações de tecnologia podem atender com rapidez a mudanças nas demandas do mercado de trabalho, já que permitem uma renovação curricular mais rápida. Egressos do curso serão capacitados para buscar soluções para problemas do mundo real, a partir de aulas envolvendo análise de sistemas e emprego coerente das técnicas e dos recursos tecnológicos disponíveis ao processamento automatizado da informação. Os novos alunos terão aulas com 16 professores no horário vespertino e em quatro laboratórios de informática, um de redes e um de pesquisa e inovação.


“A nossa ideia é formar alunos para desenvolvimento em internet. Hoje, esse meio vai muito além de um computador e páginas da web. Há internet em todo lugar, vai muito além de um simples desenvolvedor de sistema de browser (programa desenvolvido para permitir a navegação pela web) ou navegador de um computador”, diz o coordenador do curso no IFB, Ernesto Steinmetz.  O graduado em informática pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijui), mestre em gestão do conhecimento e tecnologia da informação pela Universidade Católica de Brasília, (UCB/DF) e doutor em ciências da informação pela UnB, que foi presidente da comissão de planejamento da formação, também fala sobre o início do período letivo “O curso está autorizado pelo Ministério da Educação (MEC), falta o reconhecimento, condição necessária para a validade nacional dos diplomas”, conta. A solicitação de reconhecimento só pode ser feita ao MEC quando a primeira turma da graduação tiver completado metade da carga horária.


No mercado de trabalho, o tecnólogo em sistemas para internet se torna apto a assumir funções como as de consultor de tecnologia da informação (TI), gerente de TI, projetista de soluções de TI para internet e desenvolvedor de sistemas para internet. “Na informática, é possível seguir carreira em qualquer área. Se fizer sistemas, ele pode optar por trabalhar em hospitais, bancos, atividades agrícolas. A gama de opções é grande, ainda mais com a expansão de acesso com os smartphones. Além disso, profissionais do ramo podem criar qualquer tipo de sistema, não só os computacionais”, observa o professor do IFB Lázaro Oliveira Lima, graduado em tecnologia em sistemas de informação pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Goiás (Cefet/GO) e mestre em engenharia elétrica pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Serviço / Estude!

Curso de tecnologia em sistemas para internet
Modalidade: curso tecnológico
Duração: cinco semestres, 2.100 horas no total
Ingresso: semestral, por meio do Sisu ou transferência como portador de diploma de curso superior
Pré-requisitos para formação: trabalho de conclusão de curso
Investimento: por se tratar de uma instituição pública, as aulas do IFB são gratuitas
Informações: pelo site.

 

Não confunda com técnico

Uma graduação tecnológica é uma modalidade de curso superior mais curta que habilita o profissional como tecnólogo. Diferentemente de uma formação técnica, possibilita o ingresso em cursos de pós-graduação.

 

Setor aquecido

Estudo de 2015 da Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes) em parceria com a IDC (International Data Corporation) revela que o crescimento dos investimentos em tecnologia da informação no Brasil teve aumento de 9,2% em relação a 2014. Se comparado às demais economias, o país ainda se destacou, considerando que a média mundial de crescimento dos investimentos foi de 5,6%. No mundo, o setor movimentou US$ 2,2 trilhões. Já no ranking de investimento em TI na América Latina, o Brasil se manteve em primeiro lugar, com 45% do montante investido (US$ 59,9 bilhões), seguido por México (20%) e Colômbia (8%). Ao todo, a região latino-americana obteve US$ 133 bilhões em investimento.

 

Salários

Pesquisa anual da Hays, em coautoria com a Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), aponta tendências, de salários e benefícios dos profissionais brasileiros. Em 2014 e 2015, o setor não apresentou grande crescimento no número de contratações em relação a anos anteriores. Mesmo assim, os profissionais de TI são bastante disputados pelas empresas. Os salários médio, de acordo com pesquisa dos valores em São Paulo (SP), no período estudado, se encontravam nas seguintes faixas:
- Empresas de pequeno porte: entre R$ 1.800 e R$ 13.200
- Empresas de médio porte: entre R$ 3.600 e R$ 29.700
- Empresas de grande porte: entre R$ 7.200 e R$ 45.000

 

* Estagiário sob supervisão de Ana Paula Lisboa