SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Ensino Superior

Parceria é alternativa para a UnB

Nove dos 10 candidatos a reitor da Universidade de Brasília apostam em convênios para atrair investimentos em pesquisa e na qualificação dos professores. Todos também defendem que a valorização da educação a distância seja uma das prioridades

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/08/2012 10:19

A Universidade de Brasília mantém um corpo docente altamente qualificado. Hoje, pelo menos 90% dos professores da instituição são doutores. Ainda assim, a área de pesquisa precisa de mais incentivo e fontes de financiamento para que o destaque venha também em publicações reconhecidas nacional e internacionalmente. No último dia da série de reportagens sobre as propostas dos candidatos à Reitoria da UnB, nove dos 10 concorrentes revelaram ao Correio o que pretendem fazer para manter o nível de formação dos educadores e aumentar o apoio à pesquisa. Eles ressaltaram ainda como pretendem valorizar e ampliar o ensino a distância. A maioria considera a possibilidade das aulas não presenciais uma oportunidade para aqueles que trabalham e não podem frequentar regularmente a universidade, além de ressaltar a importância desse serviço para o crescimento da UnB. Uma das preocupações é qualificar os docentes para que todos acompanhem a capacitação na mesma medida em que ela cresce. Os postulantes ao cargo querem ainda ampliar a modalidade, com a qualidade do ensino presencial. Na área de pesquisa, todos os planejamentos também são para aumentar os incentivos. Volnei Garrafa, da chapa Viver UnB, pretende criar um decanato específico para cuidar do setor. %u201CSeria uma espécie de grande captador de recursos para a universidade. Vamos procurar parcerias financeiras para projetos estratégicos em uma agenda nacional e internacional%u201D, ressaltou o professor da Faculdade de Ciências e Saúde. A intenção de parcerias com instituições nacionais e estrangeiras também é parte das propostas de Ana Valente, da Uma reitoria valente para honrar a UnB. Além disso, ela credenciará as fundações de apoio, implantando um sistema de governança, com acompanhamento on-line. %u201CDivulgaremos os resultados das pesquisas em andamento, além do desenvolvimento, o registro e a exploração de patentes%u201D, explicou. Investir e apoiar a capacitação dos docentes recém-contratados é uma das propostas de Paulo Cesar Marques, da UnB +50. %u201CPriorizaremos a elaboração de uma política própria de pós-graduação que permita a inclusão desses professores na pesquisa e na pós-graduação%u201D, afirmou. Ele vai procurar eliminar gargalos na execução de projetos e buscará recursos externos nos órgãos de fomento para financiar pesquisas. O atual vice-reitor, João Batista de Sousa, da UnB: excelente e solidária, captará recursos para a produção de conhecimento. %u201CVamos canalizar, de forma prioritária, os recursos humanos e materiais da universidade para a tarefa primordial de produzir conhecimento e transmiti-lo à sociedade%u201D, ressaltou. O candidato Ivan Camargo arrecadará recursos públicos e privados, além de fortalecer os convênios com as fundações para privilegiar a pesquisa. %u201CVamos criar uma carteira de projetos, cumprir decisão dos Conselhos Superiores da UnB e construir o Parque Tecnológico%u201D, disse o candidato da chapa UnB somos nós. Gustavo Lins, do Departamento de Antropologia, ressalta que a pesquisa é uma das maiores razões de ser da universidade pública. %u201CÉ em torno da produção de conhecimento e da inovação que o ensino e a extensão se desenrolam. Daremos uma importância inédita à pesquisa%u201D, disse o candidato pela Inova UnB. Entre as previsões de atuação, se eleito, estão programas de pós-graduação de excelência; captação de financiamento nas agências de fomento à pesquisa no DF, no Brasil e no exterior; e o desenvolvimento de políticas especiais de iniciação científica. O que pensam os concorrentes Publicação: 14/08/2012 04:00 Volnei Garrafa, professor da Faculdade de Ciências e Saúde Vice: Luis Afonso Bermúdez Chapa: Viver UnB Ensino a distância: expandir as ações do Centro de Educação à Distância (Cead) já existentes. Pesquisa e financiamento: criar um Decanato específico para cuidar da área e colocar em prática a UnB do Cerrado, com sede em Alto Paraíso. Ressalta que existem recursos financeiros disponíveis para investir em ensino e em pesquisa, com questões ambientais, biodiversidade e outros Capacitação e aperfeiçoamento: investir na excelência, aprofundando e ampliando as propostas e possibilidades do Programa Universidade sem Fronteiras, proposto pelo governo brasileiro Ana Valente, professora da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária Vice: Lúcia Helena Silva Chapa: Uma reitoria valente para honrar a UnB Ensino a distância: estabelecerá metas para alcançar os indicadores dos cursos presenciais e alavancar os resultados de ambos Pesquisa e financiamento: fomentará e potencializará parcerias com instituições de pesquisa nacionais e internacionais, além de firmar convênios por meio de recursos públicos e privados Capacitação e aperfeiçoamento: conhecer a demanda por programas de capacitação pelos docentes. Em geral, a formação em mestrado, doutorado e pós-doutorado conseguem suprir as necessidades de aperfeiçoamento dos docentes. Analisa que é preciso garantir os mesmos níveis de formação para os técnicos Paulo Cesar Marques, coordenador do programa de pós-graduação em transporte Vice: Antônio Sebben Chapa: UnB +50 Ensino a distância: concorda em expandi-la para proporcionar o acesso à educação superior, zelando pela qualidade Pesquisa e financiamento: apoiará os novos e os antigos docentes que não encontraram respaldo da universidade para ter acesso a financiamentos e participar de programas de pós-graduação stricto sensu (mestrados e doutorados). Priorizará a elaboração de uma política própria de pós-graduação Capacitação e aperfeiçoamento: estabelecerá políticas específicas para as áreas que ainda enfrentam dificuldades para titulação João Batista de Sousa, atual vice-reitor da UnB Vice: Wellington de Almeida Chapa: UnB: excelente e solidária Ensino a distância: acredita que ensino à distância na UnB uma realidade que cobre boa parte do país. Vai expandir e, principalmente, aperfeiçoar Pesquisa e financiamento: canalizará, de forma prioritária, os recursos humanos e materiais da universidade para a tarefa primordial de produzir conhecimento e transmiti-lo à sociedade. Atuará agressivamente na captação de recursos Capacitação e aperfeiçoamento: continuará apoiando os programas existentes e melhorará as condições de trabalho no cotidiano Ivan Camargo, professor da Faculdade de Tecnologia Vice: Sônia Báo Chapa: UnB somos nós Ensino a distância: ressalta que há uma forte demanda da sociedade brasileira por ensino à distância. Vai ampliar e implementar mecanismos de controle de qualidade Pesquisa e financiamento: propõe o fortalecimento da parceria com as fundações de apoio e a criação de uma carteira de projetos para viabilizar a arrecadação de recursos públicos e privados. Pretende construir um parque tecnológico Capacitação e aperfeiçoamento: incentivará aqueles que ainda não são doutores a complementar a formação. Proporcionará condições para a contínua atualização, inclusive com programas de pós-doutorado Gustavo Lins, do Departamento de Antropologia Vice: Flavio Botelho Chapa: Inova UnB Ensino a distância: acredita que o crescimento não tem atingido os padrões de qualidade esperados. Integrará essa questão na rotina da vida acadêmica, investindo em um crescimento com qualidade Pesquisa e financiamento: desenvolverá políticas especiais de iniciação científica para diminuir o descompasso entre a graduação e a pós. O Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação deve ter grande protagonismo, identificando fontes de recursos externas e assessorando a captação de financiamento Capacitação e aperfeiçoamento: o governo federal, por meio do CNPq e da Capes, dispõe de vários programas que contemplam a capacitação dos docentes. Mas acredita que a UnB precisa de presença maior da Fundação de Apoio à Pesquisa do DF Maria Luisa Ortiz, diretora licenciada do Instituto de Letras Vice: Maria de Fátima Makiuchi Chapa: Gira UnB para uma nova gestão Ensino a distância: ampliar a oferta de cursos a distância, garantindo as condições necessárias. Aumentará o fomento de bolsas de pesquisa, de ensino, de extensão e de monitoria Pesquisa e financiamento: consolidará áreas, grupos, laboratórios e linhas de pesquisa voltadas para o desenvolvimento tecnológico. Reestruturará setores na reitoria para dar assistência completa aos projetos conveniados e contratados pela UnB encaminhados pelos pesquisadores. Modernizará os laboratórios Capacitação e aperfeiçoamento: vai procurar formas de incentivar o crescimento do número de grupos de pesquisa e incentivará e apoiará a participação dos docentes em eventos científicos Denise Bomtempo, ex-decana de pesquisa e de pós-graduação Vice: Noraí Rocco Chapa: Inovação e sustentabilidade Ensino a distância: investirá em novas tecnologias de informação e de comunicação. E valorizará a oferta de cursos a distância Pesquisa e financiamento: consolidar e expandir a pós-graduação, a pesquisa e a inovação de forma sustentável, tendo como subsídio as diretrizes do Plano Nacional de Pós-Graduação (2011-2020), a Política Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação e outros. Incentivará o processo de internacionalização da pós-graduação e a pesquisa da UnB Capacitação e aperfeiçoamento: consolidará o Plano de Qualificação dos docentes do quadro permanente da FUB/UnB. E ampliará as linhas de fomento e apoio à pesquisa e à participação em eventos nacionais e internacionais Sadi Dal Rosso, professor de sociologia Vice: Maria Lúcia Leal Chapa: Construindo a unidade Ensino a distância: apoiará e institucionalizará os programas de ensino a distância e de extensão para elevar a qualidade, preservando as condições de trabalho Pesquisa e financiamento: fortalecerá a qualidade da pesquisa na UnB e incentivará a participação dos professores recém-contratados nos programas de pós-graduação, nos grupos de pesquisa, nos núcleos de estudo com acesso aos editais de pesquisa e na publicação de trabalhos capacitação e aperfeiçoamento: apoiará os professores recém-contratados com salas, mesa, computador e condições de trabalho que permitam a inserção na vida universitária. Manterá a carga letiva dos professores em duas disciplinas por semestre, salvo para as unidades que tiverem jornada menor Márcia Abrahão, ex-decana de graduação da UnB Vice: Marcelo Bizerril Chapa: O amanhã fazemos juntos Propostas: não respondeu aos questionamentos da reportagem Incentivo à captação de recursos Publicação: 14/08/2012 04:00 A consolidação de áreas, laboratórios e linhas de pesquisa voltadas para o desenvolvimento tecnológico serão prioridade na gestão de Maria Luisa Ortiz, da Gira UnB para uma nova gestão. Ela pretende apoiar grupos de estudo na captação de recursos com órgãos e entidades de fomento. %u201CVamos aprofundar a relação com os financiadores já parceiros das universidades (FAP-DF, Capes, CNPq, Finep). Para tanto, deveremos reestruturar setores na reitoria para dar assistência completa aos projetos conveniados e contratados pela UnB, encaminhados pelos docentes e pesquisadores%u201D, ressaltou. Ex-decana de pesquisa e de pós-graduação, Denise Bomtempo conhece bem o setor. Postulante pela chapa Inovação e sustentabilidade, ela prevê a consolidação e a expansão das pós, além de subsídios para a pesquisa. Entre as alternativas de financiamento está a negociação com o governo. %u201CTentaremos uma articulação político-institucional com o GDF para que a Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF) realize o fomento à pesquisa, à ciência e à tecnologia, com inovação e sustentabilidade%u201D, detalhou. Capacitação Sadi Dal Rosso, da Construindo a unidade, incentivará a captação de recursos para o desenvolvimento da pesquisa na UnB, além de organizar o Simpósio sobre Ciência, Tecnologia, Sociedade (CTS) e Produção de Conhecimento na instituição. %u201CA intenção é levantar os principais problemas relativos à pesquisa na universidade, propostas e políticas específicas%u201D, analisou. Investirá ainda na publicação dos trabalhos realizados pelos docentes em seminários anuais de cada uma das áreas. Os representantes de nove das 10 chapas que participarão das eleições em 22 e 23 de agosto também falaram sobre a capacitação e o aperfeiçoamento dos professores (leia quadro). A candidata Márcia Abrahão, da chapa O amanhã fazemos juntos, não respondeu aos questionamentos da reportagem. Regras » Dez chapas estão inscritas para as eleições, que ocorrerão em 22 e 23 de agosto » Paridade: com a queda da liminar concedida à AdUnB, o pleito volta a ser paritário, quando o voto de professores, alunos e servidores têm o mesmo peso » O próximo debate entre os candidatos será amanhã, às 19h, no Centro Comunitário da UnB » Caso haja segundo turno, a votação será em 11 e 12 de setembro
Tags:

publicidade

publicidade