SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Decisão da UnB de adotar o Sisu como forma de seleção divide opiniões

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/04/2013 12:17 / atualizado em 12/04/2013 16:11

Gustavo Aguiar

A adoção do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) pela Universidade de Brasília (UnB) como forma de identificar os novos alunos da instituição divide opiniões entre os vestibulandos que pretendem se candidatar a uma vaga na universidade.

A medida foi anunciada na manhã desta sexta-feira (12) pelo Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão da universidade, e passará a valer a partir de 2014.  O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) servirá como forma de avaliação dos candidatos e substituirá o vestibular do início do ano.

O Eu, estudante ouviu a opinião de estudantes de alguns dos principais cursinhos e escolas da cidade para saber o que o vestibulando pensa a respeito da mudança:

Leonardo Spolidoro, 18 anos, aluno do pré-vestibular do Galois

"Sou contra. No vestibular da UnB, os requisitos de avaliação são mais elevados que os do Enem. Por isso, se  a UnB aprovar alunos pelo Enem, o nível dos alunos da universidade pode cair, porque vai ser mais fácil passar. O vestibular serve para selecionar os melhores, e o Enem ainda não está no mesmo patamar para fazer isso. Quando fiz a prova, achei muito fácil. O que é cobrado no vestibular é muito diferente."









Bruna Alvarenga, 17 anos, aluna do pré-vestibular do Galois

"Sou a favor porque essa é uma forma de aumentar a possibilidade de entrar na universidade. Estou prestando vestibular para medicina, o que é muito difícil. Com a UnB adotando o Enem, eu abriria meu leque de possibilidades focando em apenas uma prova, e minhas chances aumentariam, porque poderia ser aprovada em outras universidades do país tão boas quanto a de Brasília. Como a concorrência no Enem é muito elevada, acho que o processo seleção, mesmo com uma prova mais fácil que o vestibular, só aprova os melhores."







Fernando Viana, 21 anos, aluno do pré-vestibular do Galois

"Sou contra. Diferentemente de muitas outras universidades do país, a UnB sempre teve um estilo próprio, e os alunos e escolas daqui já estão acostumados com esse método.  Para se adequar à nova forma, Brasília levaria pelo menos uns três anos, e nós, vestibulandos da cidade, ficaríamos em desvantagem se compararmos o nível de preparação dos alunos de outros estados que já se preparam há muito tempo para o Enem. Eles acabariam ficando com as nossas vagas."

 





Vanessa Luzia Felix, 17 anos, aluna do 3º ano do Centro de Ensino Médio Setor Oeste


"Sou contra. O vestibular da UnB sempre foi considerado um dos mais qualificados. Adotar o sistema do MEC compromete o rendimento da Universidade. O vestibular exige mais, nós temos que dedicar mais tempo, se empenhar. O Enem não é um exame que prova a qualidade do aluno, mas testa apenas um conhecimento muito básico. Isso não é suficente para quem quer ingressar na Universidade."

 
Maria Arcângela Silva, 17 anos, aluna do 3º ano Centro de Ensino Médio Setor Oeste

"O Enem cobra um conhecimento muito superficial. As pessoas que entram na UnB pelo Enem não vão ter as mesmas competências do aluno que faz a prova do Cespe, que é mais rigorosa. Aqui em Brasília, a federal é conhecida por exigir de nós um conhecimento além do comum, e uma maturidade que deve guiar o  desde a etapa da seleção. Com a nova medida, acho que os próximos alunos serão leigos, e a qualidade dos profissionais formados lá poderá cair. Se fosse só para vagas remanescentes, tudo bem, já que são vagas que sobram. Mas de outro jeito, eu não aprovo."

 

Tags:

publicidade

publicidade