SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Alunos da UnB têm até hoje para escolher a nova diretoria do DCE

No segundo dia das eleições, comissão eleitoral se reúne para discutir problemas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/05/2014 17:40 / atualizado em 15/05/2014 20:53

Bruna Furlani/Esp. CB/D.A Press
A comissão eleitoral ainda não tem informações de quantos estudantes votaram para as eleições do Diretório Central dos Estudantes (DCE) e das Representações Discentes (RD), que garante cadeiras nos conselhos superiores da Universidade de Brasília (UnB). A votação é opcional e, no ano passado, dos 42 mil estudantes de graduação e de pós-graduação, 8 mil depositaram uma cédula nas urnas. As urnas foram abertas na última quarta-feira (14/5), às 8h30, e serão fechadas às 22h desta quinta-feira (15/5) nos quatro câmpus da UnB.

Das 10h30 às 16h30, os sete alunos da comissão eleitoral estiveram reunidos na sala do DCE, no câmpus Darcy Ribeiro, para discutir os problemas nas votações de ontem. Além deles, representantes de todas as chapas estiveram presentes. Urnas abertas sem a presença de testemunhas, representante da chapa Manifesta fazendo propaganda na Faculdade de Saúde (FS) no dia da eleição e um apoiador da mesma chapa ultrapassando o limite de aproximação de uma urna na Faculdade de Educação Física (FEF) foram algumas das denúncias. Segundo o grupo, as informações são sigilosas e a comissão eleitoral não quis falar com a imprensa.

Segundo representantes de chapas presentes, foi instituída uma punição para a chapa Manifesta, acusada de ter feito propaganda, durante o primeiro dia de eleição na Faculdade de Medicina, e de ter ultrapassado o limite do local de votação de uma urna na FEF. “Eles ficaram impedidos de fazer boca de urna na FEF e na FS hoje. Achei a resolução razoável”, disse a integrante da chapa UnB Aberta pra Quebrada Flávia Soarez, 23, que faz mestrado em geografia.

Integrante da chapa Manifesta, o estudante do 8º semestre de serviço social Lucas Brito, 23 anos, não concorda com a decisão. “A comissão não tinha condições de dar nenhuma punição porque só houve indícios. Quero saber quais são as provas!”, argumentou. De acordo com ele, a restrição não foi a mais acertada. “A penalidade deveria ser cobrada no Hospital Universitário, onde votam os estudantes de medicina, e não na FS”, criticou. A chapa Manifesta entrou com recurso, mas o pedido não foi aceito pela comissão eleitoral.

Um vídeo gravado pela chapa Aliança pela Liberdade mostra estudantes de medicina confirmando que alunos da chapa Manifesta fizeram propaganda na última quarta-feira. Para Tomás Martins, 21, membro-apoiador da chapa Manifesta, e aluno do 4º semestre de farmácia da Universidade Federal de Minas Gerais, a gravação não é uma prova. “O vídeo não se passa no momento da propaganda. Foi gravado depois. Ou seja, não há provas”, afirmou.

Movimentação
No Udefinho, um dos locais de maior movimentação no Instituto Central de Ciências no câmpus Darcy Ribeiro, os números de votos desapontam. Em uma das urnas, até esta tarde 288 pessoas das 2.420 haviam votado, segundo a mesária Ana Luiza Ribeiro, 18 anos, aluna do 1º semestre de gestão em saúde coletiva. Na outra urna do Udefinho, dos 1.848 estudantes esperados, apenas 243 haviam votado segundo o mesário Aristóteles Gomes, 23, aluno do 2º semestre de física.

Mesária no Pavilhão João Calmon (PJC), a estudante do 8º semestre de serviço social, Érika Pereira, 26 anos, computou que 800 pessoas votaram nesta urna desde as aberturas das votações. João Vitor Loureiro, 19, aluno do 3º semestre de ciência política, acredita que a divulgação das eleições para o turno noturno foi ineficiente. “Aqui no PJC, onde votam os estudantes de gestão de políticas públicas, ciência política e administração, os alunos do diurno estavam informados, mas havia alunos do noturno, de administração, que não sabiam nem os dias da eleição”, criticou. João Vitor acredita que a movimentação nas urnas está menor nesta quinta-feira, em comparação com a última quarta-feira.

Apuração
A expectativa é que às 6h desta sexta-feira (16/5) a chapa vencedora já seja conhecida. A comissão eleitoral vai computar os votos durante a noite desta quinta-feira e a madrugada de sexta-feira. A escolha da diretoria do DCE e da RD é majoritária e não terá segundo turno. As chapas Aliança pela Liberdade, Bloco na Rua, Manifesta e UnB Aberta para Quebrada concorrem ao DCE. Para as Representações Discentes (RD), as chapas concorrentes são Aliança pela Liberdade, Bloco na Rua, Manifesta e Inversão.

Tags:

publicidade

publicidade