SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

UNB »

Abaixo-assinado pela segurança

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/04/2015 10:44 / atualizado em 01/04/2015 10:47

Thiago Soares

Gustavo Moreno
Com as polêmicas recentes, como a de um tarado à solta no Câmpus Darcy Ribeiro, na Asa Norte, a questão da segurança na Universidade de Brasília (UnB) voltou a ficar em evidência. O Diretório Central de Estudantes (DCE) organizou na internet um abaixo-assinado para pedir melhorias na iluminação pública da região, principalmente no percurso entre a L2 e a L3 Norte. “As pessoas precisam passar por ali para voltar para casa. Entendemos que, além de ser uma questão de infraestrutura, isso faz parte da segurança. Para nós, alunos, essa é a prioridade”, explicou o coordenador-geral do DCE, Caio Oliveira.

A aluna de enfermagem Gabriela Schaffer, 32 anos, estuda no período vespertino, mas, em algumas ocasiões, tem de ficar além do horário na UnB. Sem carro, ela anda até a L2 Norte para pegar um ônibus. “Passo correndo. Evito sair tão tarde para ter um pouco da luz do dia. Depois que escurece, fica perigoso. Já fiquei sabendo de pessoas que foram vítimas de furto por ali. Quando menos perceberam, foram abordadas porque estava tudo escuro”, conta a jovem.

Lucas Leon, 21 anos, passa pelo mesmo trecho. “Procuramos andar em grupo. Também vejo que muitas mulheres têm medo de andar à noite; por isso, elas pedem para irem acompanhadas. Algo tem de ser feito logo para melhorar a iluminação pública do local”, comenta o estudante de biologia. Até ontem, mais de 800 alunos tinham assinado o pedido de melhorias no site do DCE (www.dceunb.org).

O prefeito do câmpus, Marco Aurélio de Oliveira, afirmou que a responsabilidade de instalação de iluminação pública é da Companhia Energética de Brasília (CEB) e do GDF. “Conversamos com o governo em várias oportunidades e alertamos sobre essa demanda, que é antiga”, esclarece.

A PM reforçou o policiamento na área. “Temos consciência desse problema. E estamos monitorando”, disse o responsável pelo policiamento na área, capitão Jorge da Silva. Oito carros, 16 motos e 12 militares a pé são responsáveis pela ronda na região. “Todos são orientados a circular pelas áreas do estacionamento e pelo trajeto apontado pelos alunos.”

A assessoria de Comunicação da CEB informou que a área técnica analisa os pedidos da localidade especificada pelos alunos, mas, até o fechamento desta edição, não houve resposta sobre prazos para a instalação de iluminação pública na região.

Desde o início do semestre, estudantes, professores e funcionários estão amedrontados com a presença de moradores de rua na UnB. Um deles abaixou as calças para uma aluna e uma professora. Ele foi preso em 24 de março e está em uma clínica psicológica.

publicidade

publicidade