SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Decisão do TRF prorroga contratação de alunos pelo Fies na USJT

Grupo educacional alega que MEC utilizou critérios diferentes do previsto para distribuir vagas. Órgão pretende recorrer.

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 25/08/2015 17:30 / atualizado em 25/08/2015 17:52

O desembargador Néviton Guedes, do Tribunal Regional Federal de Brasília, decidiu que o prazo de contratação dos alunos de engenharia civil da Universidade São Judas Tadeu (USJT) deve ser prorrogado até que o Ministério da Educação (MEC) refaça o cálculo das vagas do Fundo de Financiamento Infantil (Fies). O grupo Anima Educação, dono da USJT, alega que o MEC utilizou um critério diferente do previsto na Portaria 8/2015 para selecionar as vagas.

A Portaria 8/2015 estabelece que os cursos com conceito de 4 a 5 de acordo com Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) devem ser priorizado. “Em vez disso, foi utilizado o critério de proporcionalidade em relação ao número de vagas existentes em 2015 nas universidades. Isso criou uma reserva de mercado para quem já tinha alunos, o que elimina a livre concorrência e o direito de o estudante estudar na melhor universidade”, argumenta o diretor jurídico do Grupo Anima João Batista. O curso de engenharia civil da USTJ com conceito 4 conseguiu 20 das 90 vagas solicitadas. O do Centro Universitário Anhanguera, com conceito inferior, obteve 46.

O Grupo Anima também entrou com ações contra o MEC em nome das instituições Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH), Unimonte e Una, das quais é dono. “Vamos levar essa decisão do tribunal aos outros processos para que os juízes adotem uma solução semelhante”, explica Batista. De acordo com o diretor jurídico, a medida pode ter impacto em outras instituições. “Ao recalcular a distribuição das vagas, o MEC provavelmente terá que corrigir a de outras universidades do país”, afirma.

O MEC declarou que não foi notificado até esta terça-feira (25), mas que pretende recorrer da decisão. O órgão alegou ter adotado todos os critérios previstos na portaria, que também preveem regionalidade, demanda dos estudantes pelo curso. É possível conferir a lista com as regras no site.

A divulgação de vagas do Fies, prevista para 10 de agosto, foi suspensa por uma liminar do juiz Francisco Renato Filho, da 15ª Vara Federal em Brasília. A decisão foi revogada após esclarecimento do MEC e as vagas foram divulgadas em 12 de agosto.

publicidade

publicidade