SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

JARDIM BOTÂNICO

Escolaridade e renda altas são características da população

Divulgada nesta terça (31), pesquisa da Codeplan também mostra que 99,6% das casas na região administrativa têm abastecimento de energia elétrica

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/05/2016 18:22 / atualizado em 31/05/2016 18:27

A população do Jardim Botânico tem alta escolaridade e boa renda. É o que mostra a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad) 2016 da região, divulgada nesta terça-feira (31) pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan).

Moradores com ensino superior completo, incluindo especialização, mestrado e doutorado, correspondem a 47,68% dos habitantes. Pessoas que não concluíram o ensino fundamental somam 15,8% — considerando o ensino regular e a educação para jovens e adultos (EJA) —, e os não alfabetizados representam 0,48% dos entrevistados.

Consequência da alta escolaridade, as rendas mensais domiciliar e per capita também são elevadas. A média familiar alcança R$ 12.457,33, ou seja, mais de 14 salários mínimos (que é de R$ 880), enquanto o índice por pessoa é de R$ 3.930,39, o equivalente a mais de quatro salários mínimos.

Dos 27.364 habitantes do Jardim Botânico, 14.148 são mulheres, e 13.216, homens. Em termos porcentuais, elas representam 51,71% da população; e eles, 48,29%. A maior parte dos moradores veio de outras unidades da Federação: 55,18%. São imigrantes, principalmente, de Minas Gerais, do Rio de Janeiro e de São Paulo. O índice de nascidos no DF é de 44,82%.

Quanto à faixa etária, 52,12% têm de 25 a 59 anos. Além disso, as parcelas de crianças e de idosos são similares. Pessoas de até 14 anos somam 16,69%; as com 60 anos ou mais, 16,58%.
Infraestrutura

A Pdad indica também que 99,6% das 8.172 residências têm abastecimento de energia elétrica. Além disso, 88,38% das casas estão integradas à rede da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb). Em relação ao esgotamento sanitário, 61,52% dos imóveis têm acesso à fossa séptica.

 

Agência Brasília

publicidade

publicidade