SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Trabalho aprova a criação de universidade federal no munícipio de Catalão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/07/2016 19:43

Agência Câmara

A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados aprovou projeto (PL 5271/16) do governo federal que cria a Universidade Federal de Catalão (UFCAT), a partir do desmembramento de um campus da Universidade Federal de Goiás (UFG) instalado na cidade goiana desde 1983.

 

A proposta recebeu parecer favorável do relator, deputado Daniel Vilela (PMDB-GO). Ele também foi o relator do projeto na Comissão de Educação, onde o texto foi aprovado em junho.

 

O campus de Catalão já conta com 12 cursos de graduação, como Psicologia, Engenharia de Minas, Engenharia Civil e Enfermagem, onde estudam 3,2 mil alunos. O corpo docente possui 295 professores.

 

Localizado no sudeste de Goiás, na divisa com Minas Gerais, Catalão tem cerca de 99 mil habitantes e exerce influência sobre 81 municípios da mesorregião do Sul Goiano.

 

Para Daniel Vilela, a criação da UFCAT, desmembrada da UFG, “possibilitará uma verdadeira independência e autonomia dessa instituição de ensino superior com possibilidades muito mais amplas de alavancar os resultados almejados”.

 

Estrutura O governo estima que o custo anual de implantação da nova universidade será de R$ 8,2 milhões para o orçamento federal.

A proposta aprovada autoriza a criação de 42 cargos de direção e 230 funções gratificadas e funções comissionadas. Permite ainda a contratação, por concurso público, de 81 técnicos-administrativos em educação, e a doação de bens da União para a instituição.

 

O Ministério da Educação nomeará temporariamente um reitor e um vice-reitor para a UFCAT. Caberá ao reitor pro tempore estabelecer as condições para a escolha do reitor da universidade.

 

Tramitação
O projeto será analisado ainda pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Depois, seguirá para o Plenário da Câmara.

 

publicidade

publicidade