SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Estudante da Anhanguera aguarda diploma há dois anos

Formado em direito, o estudante aguarda o diploma desde 2014

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/11/2016 18:45 / atualizado em 11/11/2016 20:19

Bruna Andrade*

Marcos Martins de Castro, 26 anos, se formou em direito no segundo semestre de 2014, porém, até hoje, não teve o diploma emitido pela Faculdade Anhanguera. Na época, a coordenação da instituição solicitou os documentos pessoais de todos os alunos para a emissão dos certificados. O prazo determinado para a entrega seria de seis meses a um ano. Em março de 2015, ocorreu a colação de grau e, quase dois anos depois, o ex-estudante do câmpus de Taguatinga não recebeu o documento. “Eu me sinto desrespeitado, ainda mais porque a faculdade é privada. A gente paga e espera respeito”, desabafa.

Por diversas vezes, o bacharel foi até a faculdade cobrar o diploma. Em julho de 2015, Marcos fez um requerimento, além de enviar e-mails, que nunca foram respondidos. Na última tentativa, procurou o diretor do câmpus de Taguatinga, que lhe disse para esperar mais um mês. Mais uma vez, nada foi resolvido. “Alguns amigos que se formaram comigo disseram que, em 90 dias, conseguiram o diploma. Não tem justificativa para que haja essa demora excessiva da instituição, eu nunca recebi um posicionamento certo da faculdade”, diz.

Agora, Marcos pretende fazer uma reclamação para o Ministério da Educação (MEC) e, depois, entrar com um processo contra a instituição de ensino. Leyla da Silva Martins de Castro, 46 anos, mãe do jovem, diz que o filho se dedicou bastante durante a faculdade — dividindo o tempo entre um cursinho preparatório para concursos e estágio. "Ele se preparava para um concurso da Polícia Militar de Goiás, porém, sem o diploma, não tem como comprovar a conclusão do curso. Até uma declaração é difícil de conseguir nessa faculdade. Eu estou revoltada, frustrada, nunca deixei atrasar um único dia o pagamento das mensalidades dele", conta. "Terminar o curso deveria dar o direito imediato ao diploma."

“Eu me sinto lesada. Se o caso não se resolver depois que esta reportagem for publicada, vou recorrer à Justiça. A Anhanguera age com descaso em relação aos alunos - mesmo um prazo de seis meses é muito longo para a emissão de um diploma”, fala.

Contatada pelo Eu, Estudante, a Faculdade Anhanguera de Brasília informou que o diploma de Marcos Martins de Castro está registrado e que ele poderá retirá-lo na secretaria da instituição a partir de 21 de novembro.

 

 

*Estagiária sob supervisão de Ana Paula Lisboa

publicidade

publicidade