SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Volta às aulas - suplemento especial

Bom para a natureza

Materiais escolares sustentáveis: é possível economizar com a compra desses itens

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/01/2015 08:00

Claudio Reis/Esp. CB/D.A Press


Boa parte dos pais deixa para janeiro a tarefa de comprar os materiais escolares que serão utilizados pelos filhos no restante do ano. E há muito o que ser adquirido. Livros, cadernos, lápis de cor, canetas, borracha, tesoura, cola, entre outros produtos, recheiam as listas. Ainda assim, com algumas dicas é possível manter uma postura sustentável que, além de contribuir para o ambiente, pode ajudar na redução dos gastos e servir de exemplo para as crianças.


A primeira atitude é verificar o que pode ser reaproveitado do ano anterior. Cadernos que não foram usados completamente, por exemplo, podem ter as folhas em branco retiradas e, então, reunidas em um novo material. Estojos e mochilas que estiverem em boas condições são facilmente usados por mais um ano também.


No caso dos livros didáticos e paradidáticos, a melhor saída é a compra de usados. Nesse período, muitos sebos contam com promoções ou eventos próprios para atender listas de materiais. Outra alternativa são as feiras de trocas, realizadas pelos próprios pais ou pelos colégios, nas quais é possível trocar as publicações antigas pelas que serão usadas em 2015.


Novo, mas ecológico


Em alguns casos, entretanto, não tem jeito. É preciso comprar materiais novos. Mesmo assim, pode-se optar por produtos que afetem menos o ambiente, com certificações ecológicas ou com processos de fabricação mais sustentáveis.


Na compra dos lápis, por exemplo, é recomendável que se verifique a origem da madeira usada na produção. Uma empresa conta, por exemplo, com uma linha de ecolápis, que usa madeira de reflorestamento e tinta de revestimento à base de água.


Também presente na maioria das listas, as resmas de papel estão entre os produtos que podem ser avaliados. Algumas companhias utilizam como matéria-prima o bagaço da cana-de-açúcar, diferentemente da tradicional celulose de árvores, evitando, assim, qualquer tipo de desmatamento.

publicidade