SIGA O
Correio Braziliense

A nova escola

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/01/2016 10:00

O período de adaptação também vale para os estudantes que entram numa nova escola ou que mudam de fase no ensino. Para os que vão começar o primeiro ciclo do ensino fundamental, Virgínia Ávila, coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares da Universidade de Pernambuco (UPE), sugere que eles sejam apresentados à nova rotina escolar, que será diferente daquela adotada na educação infantil.


“É bem legal mostrar esse universo antes para as crianças. Entrar, visitar, conhecer os espaços e a direção”, detalha a professora. A criança deve entender, por exemplo, como funciona o recreio, se há uma cantina ou se o lanche é coletivo e até se a escola fica perto de casa. “É importante tornar familiar essa escola, mostrar onde ela está inserida, se é no mesmo bairro, por exemplo, e dar um ponto de referência, como a casa de um parente”, exemplifica.


Na opinião de Virgínia, manter esse diálogo com o estudante é sempre a melhor alternativa. “E, mesmo conversando, isso não significa que a criança não vai chorar ou que não vai haver estranhamento. O importante é os responsáveis oferecerem esse amparo”, diz a especialista. “O que não pode é eles sofrerem  com a criança. O melhor é os adultos se conterem um pouquinho, no sentido de não mostrarem essa insegurança”, alerta.

Recepção

Já no caso dos estudantes que trocaram de escola por algum motivo, a mudança deve ser acompanhada de uma parceria entre os pais e a nova instituição, principalmente quando a escolha de matricular o adolescente em outro colégio parte apenas da família, conforme destaca Nei Vieira, diretor pedagógico do 6º ao 9º ano do ensino fundamental no Galois. “Uma maneira de o jovem se defender da ausência dos amigos ou do ambiente de que ele gostava é atacando a nova escola. Os primeiros a sofrerem esses ataques serão os professores. Ele vai dizer que não são bons como esperava”, avalia.  “Se o pai começar também a atacar a escola, não vai dar certo, nem para a gente nem para a família”, complementa.


Por isso, a orientação do diretor também é que os pais levem os estudantes à instituição antes de começar as aulas, para que eles se familiarizem com o ambiente, processo que continua nos primeiros dias de aula. “Nós nos preocupamos em fazer uma boa acolhida e proporcionar atividades que possam integrar os alunos novos com os antigos. Geralmente, solicitamos aos alunos mais velhos que participem do acolhimento dos novos”, explica. O mesmo vale para os estudantes que chegam ao 6º ano, já que estão entrando em um ciclo novo do ensino fundamental.


"É importante tornar familiar essa escola, mostrar onde ela está inserida, se é no mesmo bairro, por exemplo, e dar um ponto de referência, como a casa de um parente”

Virgínia Ávila,
professora da Universidade de Pernambuco