SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Eleições para diretores de escolas públicas ocorrem na próxima semana

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/08/2012 11:15 / atualizado em 20/08/2012 17:47

Carol Matias/Esp. CB/D.A Press
Em 22 de agosto serão realizadas as eleições diretas para os cargos de diretor, vice-diretor e representantes do Conselho Escolar das escolas públicas da Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEDF). O resultado será divulgado no dia 23. Segundo dados da secretaria, 97% (611) das unidades educacionais aderiram à Gestão Democrática, onde a comunidade participa da decisão.

“Durante muitos anos o processo eleitoral nas escolas era inviabilizado por questões políticas, que, agora, serão substituídas pela vontade da comunidade escolar. Esse número superou nossas expectativas e indica mudança no quadro. Agora vamos resgatar o direito da população de opinar e decidir sobre os gestores e projetos das unidades educacionais”, explica o secretário de Educação, Denilson Bento da Costa.

A professora de português Maria de Deus Coelho afirma que a participação da comunidade escolar é extremamente importante para o incentivo do exercício da democracia. “Essa é a primeira vez que eu participo de uma eleição e estou gostando muito, pois aprendi a analisar as propostas e saber mais sobre quem estou votando”, declara o estudante de ensino médio, Matheus Henrique Campos, 17 anos.

O coordenador pedagógico de ensino médio do Centro Educacional 01 (CED 01) do Cruzeiro, Fabiano Fernandes, candidato à diretoria pela Chapa 2, explica que esse processo abriu um espaço para conhecer a opinião dos alunos e, assim, entender melhor os interesses e as necessidades deles.

Poucos concorrentes

O balanço apresentado em 3 de agosto pelas Comissões Regionais Locais, que participam do processo eleitoral, aponta que 504 escolas terão chapa única e 107 unidades educacionais mais de uma chapa, sendo 30 delas com três chapas concorrentes. Outras 18 unidades educacionais não apresentaram candidatos.

Carol Matias/Esp. CB/D.A Pres
A vice-diretora do CED 01, Gilda Lúcia, que é candidata pela Chapa 1, acredita que a concorrência é pequena, ou inexistente, em algumas escolas devido à falta de interesse dos professores em participar da gestão e a baixa gratificação oferecida. “A escola pública tem muitos problemas e não são todos que estão dispostos a enfrentá-los, tem que ter muita paixão pela educação.”

Disputa
No Centro Educacional 01 do Cruzeiro, que tem duas chapas inscritas, a disputa está acirrada. De um lado, há a Chapa 1, que busca a reeleição da diretora Lúcia Castro e da vice Gilda Lúcia. Elas têm como principal causa a busca pelo estabelecimento da escola integral. Na oposição, o professor de educação física e coordenador pedagógico do ensino médio, Fabiano Fernandes, e a vice Ana Paula Cesar, lutam pela criação de uma identidade para a escola por meio de um projeto pedagógico.

Fernandes dá aula na escola há três anos e afirma que sempre se sentiu sem rumo, pois, segundo ele, nunca teve conhecimento de um projeto pedagógico que o guiasse. A proposta do candidato é elaborar esse projeto junto aos professores, alunos e pais ou responsáveis. Segundo a vice-diretora Gilda Luz, só em 2011 não houve projeto pedagógico, pois a secretaria de educação instituiu a determinação apenas a partir de junho deste ano.

As divergências seguem em outros temas. De acordo com os representantes da Chapa 2, seu plano de trabalho está estruturado de forma que as ações pretendidas não dependam do governo, enquanto que, segundo ele, a Chapa 1 tem muitas propostas que dependem de ações do governo.
Tags:

publicidade

publicidade