SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Primeiros candidatos começam a deixar locais de prova

Segundo estudantes que saíram, entre as 90 questões deste sábado foram cobrados conteúdos de química, escravidão, apartheid, e sobre Maquiavel e Kant

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 03/11/2012 16:02 / atualizado em 03/11/2012 17:11

Marcelo Ferreira/CB/D.A. Press
A partir das 15h, os candidatos que prestaram as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste sábado (3/11), começaram a deixar os locais onde o exame foi aplicado. As 90 questões de hoje foram sobre ciências humanas e da natureza. Os primeiros estudantes a deixarem as salas de prova na Universidade de Brasília (UnB) disseram que o conteúdo de química foi extenso e a prova tinha muitos textos. Na parte de história caiu escravidão, África e apartheid. O conteúdo de filosofia também chamou a atenção dos candidatos, incluiu pensadores como Maquiavel, Kant, Descartes e Nietzsche. Para sair com os cadernos de prova, os candidatos precisam aguardar até as 17h, meia hora antes do fim da prova.

Aline barros, 19 anos, aluna do 3º ano do ensino médio, achou a prova muito difícil e chutou a maioria das questões. Ela estava desconcentrada por causa de um problema familiar e, por isso, acabou saindo mais cedo, mas garante que estará de volta no domingo (4/11). "Eu acho que amanhã vai ser melhor, porque eu sou boa na redação", conta.

Para a Amanda Paiva, 18 anos,também aluna do 3º ano do ensino médio, a parte de química foi a mais difícil. Mesmo assim, segundo ela, o exame foi bem mais fácil doque as provas da UnB. "Os cálculos das provas de exatas eram muito simples, tinham muitos graficos", explica. Ela diz estar preparada para o próximo dia. "A redação é mais fácil, meu medo é a matemática", diz.

Ana Bastos, 19 anos, fez supletivo este ano para terminar o ensino médio e diz estar fazendo o Enem principalmente para adquirir experiência. "Achei tranquilo, mas tinha muita leitura", relata. "Talvez eu estude um pouquinho hoje para a prova de amanhã", comenta a jovem.

O estudante Marcelo Henrique Almeida, 19 anos,precisou beber energético para conseguir fazer a prova. Ele explica que estava na casa de parentes ontem e não conseguiu dormir bem. "Consegui responder todas as questões, mas chutei muito", admite.

A prova também é uma opção para quem já se formou no ensino médio há mais tempo ingressar no ensino superior, tanto público quanto privado. No caso da economista Aline Barbosa, 25 anos,o objetivo é entrar para o curso de engenharia de produção na UnB. "Achei a prova do Enem incompatível com o que aprendi no ensino médio", lametou a candidata, que se formou no ensino médio há 10 anos. "A linguagem é muito dificil e tem coisas que sá vi na faculdade, como Maquiavel." Esse é o segundo exame que Aline faz.

No domingo (4/11), será a vez dos conteúdos de linguagens, códigos e matemática, além da redação, que representa metade da nota total do exame.
Tags:

publicidade

publicidade