SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Chance para TI

Os candidatos a uma das 10 vagas oferecidas pelo BRB precisam dominar administração de redes de dados, segurança da informação e mecanismos de criptografia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/02/2013 10:14


O analista de TI Marcos Cosac, 29 anos, estuda mais de 10 horas por dia para passar na seleção (Ed Alves/CB/D.A Press ) 
O analista de TI Marcos Cosac, 29 anos, estuda mais de 10 horas por dia para passar na seleção
Profissionais da área de informática já se preparam para o concurso do Banco de Brasília (BRB), que vai exigir conhecimentos bastante específicos, como administração de redes de dados, segurança da informação, governança em tecnologia da informação (TI) e mecanismos de criptografia. O certame selecionará 10 novos analistas de tecnologia da informação, que serão responsáveis por trabalhar nos sistemas informatizados da instituição, além de oferecer suporte técnico aos clientes e fazer pesquisas no setor. As inscrições foram encerradas em 8 de janeiro e restam quase dois meses de preparação para a prova, que será em 14 de abril.

O concurso exige do aluno graduação em nível superior na área de informática. O analista de TI Marcos Cosac, 29 anos, participará do certame e acredita que o concurseiro deverá se preparar para questões bem específicas. “Os candidatos serão mais especializados que em exames de nível técnico ou médio”, comenta. Para garantir uma das vagas, ele pediu dispensa do atual emprego e se dedica diariamente aos estudos, das 12h30 às 23h. “Para eu passar, tem que ser esse tempo de estudo”, afirma. Marcos usa apostilas e vai começar a frequentar aulas em um curso preparatório para reforçar os conhecimentos. Ele domina a parte de administração de redes de dados, assunto mais frequente no trabalho do analista. “Preciso relembrar língua portuguesa e linguagens de programação, que são assuntos que eu utilizo menos no dia a dia”, conta.

Apesar de não ter o costume de prestar concursos, Marcos observa como funciona a dinâmica do banco em chamar os candidatos aprovados. “Muita gente não quer nem tentar porque acha que 10 vagas é um número muito pequeno. Mas há o cadastro de reserva e o BRB tem costume de não demorar a chamar os remanescentes bem colocados”, argumenta. Além disso, ele está de olho nos detalhes da banca, o Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades). Um certame semelhante foi feito há dois anos, mas com a organização do Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB). Mesmo assim, os dois editais têm muitas semelhanças. “São praticamente iguais, mas imagino que o fato de o Iades utilizar questões de múltipla escolha deixará a prova mais tranquila.”

Pouca tradição
Para o professor Marcio Victorino, do curso preparatório Cathedra, o candidato vai encontrar questões fáceis no decorrer da prova e ele acrescenta que é importante o aluno responder a todos os itens. “O Iades é uma banca nova, sem tanta tradição em concursos”, pondera. Victorino acrescenta que acertar itens de administração de redes de dados, como modelagem, normalização e SQL, é obrigatório para quem quer passar no certame. “Conceitos como entidade fraca e as três primeiras formas normais sempre aparecem em exames”, alerta. Além disso, ele acrescenta que diagramas UML merecem cuidados dentro da área de software.

Ainda na parte de redes de dados, o professor Gleyson Azevedo, do site Dominando TI, crê que modelo OSI deve receber atenção especial. “É bom estudar a característica de todas as camadas desse modelo, que é como geralmente as bancas o cobram nas provas”, explica. Azevedo indica ainda a leitura atenta da norma ISO/IEC 27002 para as questões sobre segurança da informação, muito cobradas em concursos. “É uma norma que trata de controle de segurança, e o Iades não deve fugir do texto dela nem cobrar interpretação”, prevê. Segundo ele, o aluno também não deve deixar de estudar a fundo mecanismos de criptografia.

O professor Gledson Pompeu, do site Mapa da Prova, lista assuntos das demais áreas com maior probabilidade de serem cobrados. “Para fundamentos de Cobit, que geralmente cai em questões de governança de TI, o candidato deve memorizar listas como focos, requisitos da informação, recursos de TI, domínios e os respectivos processos”, afirma. Ele reconhece que o assunto é extenso, assim como os processos do modelo ITIL, que somam 26 ao todo. Em gerenciamento de projetos, Pompeu sugere o estudo dos fundamentos do guia PMBOK e dos processos que envolvem o tema. “É importante dominar as relações entre gerenciamento, programas e portfólio”, conclui.

Glossário
Confira o significado dos principais termos técnicos que devem cair:

SQL — Structured Query Language
Linguagem de programação utilizada para definir e manipular bases de dados dos softwares

UML — Unified Modeling Language
Conjunto de diagramas utilizados para representar os requisitos e a lógica de funcionamento de um software

OSI — Open Systems Interconnection
Conjunto de padrões teóricos que definem a forma como computadores se comunicam em uma rede

Cobit — Control Objectives for Information and Related Technologies
Modelo que define processos e controles para gestão e auditoria de tecnologia da informação

ITIL — Information Technology Infrastructure Library

Boas práticas para o gerenciamento de serviços de tecnologia da informação

PMBOK — Project Management Body of Knowledge
Conjunto de boas práticas para o gerenciamento de projetos

Fonte: professor Gledson Pompeu

O que diz o edital
Banco de Brasília (BRB)

Cargo: analista de tecnologia da informação
Vagas: 10 e cadastro de reserva
Remuneração: R$ 4,8 mil
Provas: 14 de abril
Edital: www.iades.com.br
Tags:

publicidade

publicidade