SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Conquiste uma vaga

Dominar os conteúdos de informática, português e legislação aplicada ao SUS é essencial para garantir boa colocação na prova da Secretaria de Saúde do DF

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/04/2014 10:07 / atualizado em 28/04/2014 10:11

Luiza Garonce

A Secretaria de Saúde do DF abriu processo seletivo simplificado com 460 vagas de nível médio para o cargo de agente de vigilância ambiental em saúde. A banca responsável pelo certame é o Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional (Idecan). Os candidatos farão prova objetiva com 50 questões de múltipla escolha sobre língua portuguesa, noções básicas de informática, raciocínio lógico-matemático, Sistema Único de Saúde (SUS) e conhecimentos específicos. Já a segunda etapa do certame é um curso introdutório de formação inicial, que tem caráter eliminatório. Dele participarão somente os candidatos classificados até a colocação 920 na primeira fase.

Os conteúdos de informática mais visados, de acordo com o professor do IMP Concursos Renato Santos, são os de Word e Excel. Segundo ele, a prova não costuma conter ilustrações, o que exige do candidato conhecimento profundo das ferramentas. “É bom ficar atento às funções das barras de menu e às teclas de atalho do Word. Para o Excel, é importante estudar soma, média, funções se, somase e cont.se”, aconselha.

Segundo o professor, a informática para concursos é diferente daquela usada no dia a dia, por isso, resolver outras provas contribui para ganhar familiaridade com a abordagem do conteúdo. Renato recomenda que o candidato responda questões da Cesgranrio e do Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades), além de itens da própria banca.

De olho na Constituição
Para estudar legislação do SUS, a professora Andréa Paula Severiano aconselha revisar a Constituição Federal, artigos 196 e 198, as Leis nº 8.142 e 8.080, ambas de 1990, além do Pacto pela Saúde 2006. “As questões de SUS do Idecan são bem direcionadas e têm linguagem simples, mas não são fáceis”, comenta a professora. Segundo ela, é preciso compreender as leis além de conhecê-las, porque, como as questões são contextualizadas, o candidato que apenas decorar a legislação terá dificuldades.

De acordo com Décio Terror, professor de língua portuguesa do Ponto dos Concursos e autor do livro Resolução de provas de português (Ed. Impetus; 403 páginas;
R$ 63,20), os conteúdos mais cobrados nessa disciplina devem ser interpretação de texto, significação de palavras, acentuação e pontuação, crase, conjunções e sintaxe. Para ele, a resolução de provas anteriores do Idecan é a melhor forma de estudar. “Julgo mais interessante exercitar do que partir para teorias. Se o candidato estiver com dificuldades na resolução das questões, aconselho estudar os assuntos de acordo com o edital.”

Karla Regina de Oliveira, 22 anos, vai fazer o certame para ganhar estabilidade na área em que atua. De acordo com ela, a procura por profissionais de biomedicina é pouca, e a concorrência no mercado de trabalho privado, desmotivadora. “O serviço público é mais vantajoso, mesmo havendo menos oportunidades”, conta. Segundo ela, a remuneração na iniciativa privada é próxima à do serviço público, mas a carga horária é maior, e o trabalho, desgastante.

Para Cicero Sousa, 19 anos, a vaga representa mais do que estabilidade financeira: ele pretende fazer faculdade na área de saúde e considera o certame uma porta de entrada para alcançar esse objetivo. “Esse é meu primeiro passo para conseguir trabalhar com o que gosto”, conta. Como não encontrou turmas abertas em cursinhos preparatórios, Cicero estuda pela internet, por apostilas e resolve provas anteriores.

O que diz o edital
Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF)

» Vagas: 460
» Cargo: agente de vigilância ambiental em saúde
» Remuneração: R$ 1.620
» Inscrições: até 8 de maio
» Taxa: R$ 27,50
» Provas: 31 de maio
» Edital: www.idecan.org.br


passe bem //  Legislação do SUS
De acordo com a Lei nº 8.142/90, para receberem os recursos do Fundo Nacional de Saúde (FNS) alocados como cobertura das ações e serviços de saúde a serem implementados pelos municípios, estados e Distrito Federal, estes deveram contar com:

I. Fundo de Saúde
II. Conselho de Saúde
III. Plano de Saúde
IV. população igual ou maior que 100 mil habitantes
V. relatórios de gestão que permitam o controle pelo Ministério da Saúde
VI. contrapartida de recursos para a saúde no respectivo orçamento
VII. consórcios intermunicipais para execução de ações e serviços de saúde
VIII. Comissão de Elaboração do Plano de Carreira, Cargos e Salários (PCCS)

Assinale a alternativa que indica todos os itens que os municípios, estados e o Distrito Federal precisam contar para receberem os recursos:
A) III, IV, V, VI e VII
B) I, II, III, V, VI e VIII
C) I, II, V, VI, VII e VIII
D) II, III, IV, V, VI e VII
E) I, II, III, IV, VII e VIII


Gabarito: B

Comentário: o enunciado direcionou a legislação a ser considerada, no caso a Lei nº 8.142/90, e estabeleceu os recursos do Fundo Nacional de Saúde (art. 4º), ou seja, o dinheiro do Ministério da Saúde. Para que estados/DF e municípios tenham acesso aos repasses, eles devem ter:
I – Fundo de saúde: na Lei nº 8080/90 (art. 33) ficou determinado que todo repasse de dinheiro só pode ocorrer por meio dos fundos de saúde (repasse fundo a fundo, ou regular e automático)
II – A formação de conselhos de saúde: pela Lei nº 8.142/90 (art.1º) os conselhos de saúde devem atuar na formulação de estratégias e no controle da execução da política de saúde, inclusive nos aspectos econômicos e financeiros
III – Que a esfera de governo correspondente apresente um plano de saúde (Lei nº 8080/90, art. 36) que evidencie as ações e os serviços que serão feitos
V – Relatório de questão: que permita o controle através do sistema de auditoria (Lei nº 8.142/90, art. 4º)
VI – Contrapartida de recursos para a saúde no respectivo orçamento: cada esfera de governo terá que destinar recursos mínimos em ações e serviços públicos de saúde (CF, art. 198, § 2º)
VIII. PCCS: citada na Lei nº 8.142/90, art. 4º
VII e IV — não são considerados como critérios conforme a legislação

Questão retirada da prova de agente de combate de endemias do Idecan (2013) e comentário elaborado pela professora Andréa Paula Severiano

Tags:

publicidade

publicidade