SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

EDUCAÇÃO »

Os mais concorridos do PAS

Medicina mantém a tradição e registra o índice mais elevado de candidatos por vaga, com 43,39. Mas o curso de nutrição surpreende, pulando da quinta colocação para a vice-liderança. Deixa para trás direito e psicologia, que vêm na sequência

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/11/2014 11:10

Manoela Alcântara

Luiz Phelipe, Júlia e Letícya se inscreveram para a primeira fase da Unicamp, em Campinas (SP), mas decidiram priorizar a UnB (Antonio Cunha/CB/D.A Press) 
Luiz Phelipe, Júlia e Letícya se inscreveram para a primeira fase da Unicamp, em Campinas (SP), mas decidiram priorizar a UnB


Dentro de dois dias, 12.955 estudantes concorrerão a 2.106 vagas na Universidade de Brasília (UnB) para ingresso no primeiro semestre letivo de 2015. Eles farão a prova da terceira etapa do Programa de Avaliação Seriada (PAS), no domingo, em diversos pontos do Distrito Federal. Este ano, a concorrência aumentou em muitos dos 97 cursos oferecidos nos quatro câmpus da instituição. A demanda para medicina, por exemplo, subiu 20,8%, em relação a 2013. No ano passado, a disputa era de 35,89 candidatos por vaga. Este ano, cresceu para 43,39 e manteve o posto de curso mais concorrido.

Nutrição também teve um acréscimo considerável na relação demanda por vaga. Na média total, eram 19,31 concorrentes em 2013. Para este PAS, a disputa aumentou para 23,44, o que tirou o curso da quinta para a segunda colocação entre os mais concorridos. Em seguida, está a graduação de direito, com 21,50; psicologia, 21,08; e engenharia civil, 19,70. Todos no Câmpus Darcy Ribeiro (Asa Norte) e no turno diurno.

Números distintos
Quando a demanda é dividida pelos sistemas, a diferença é grande. Há hoje três formas de ingresso pelo PAS: sistema universal, cotas para estudantes da rede pública e cotas para negros. No primeiro, a concorrência para medicina é de 78,10 candidatos por vaga. Mas, para os inscritos pelas reservas destinadas a estudantes de escola pública, com renda superior a 1,5 salário mínimo, que não sejam pretos, pardos e indígenas (PPI), a demanda é de 187 por oportunidade. Embora o número de estudantes que disputam uma vaga seja distinto, não significa que é mais difícil para os cotistas.

O diretor acadêmico do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), denominado Cespe, Marcus Vinícius Soares, explica que todos os inscritos pelas reservas concorrem duas vezes. “Quando o indivíduo é PPI e de baixa renda, por exemplo, disputa inicialmente as vagas desse sistema. Não sendo aprovado, migra para o não PPI. Se não passar, vai para o de baixa renda e, assim, segue até chegar ao universal. Ele aproveita todas as oportunidades”, exemplifica. Por isso, as diferenças parecem ser tão altas. “Não podemos dizer que o sistema universal é mais difícil ou mais fácil. Para os que não se encaixam em nenhum tipo de cota, o número de vagas é mais reduzido. Eles só concorrem por um meio de entrada”, completou o diretor.

A estudante do ensino médio Júlia Brenner, 17 anos, viu a demanda para arquitetura subir de 22 pessoas por vaga para 32. Porém, ela não credita às cotas o aumento da procura. “O curso na UnB é de excelência, um dos melhores no país e tem sido bastante comentado ultimamente. Acredito que isso colaborou”, disse. Ela não foi muito bem nas duas primeiras etapas, mas aposta que o aumento na carga de estudos vai ajudá-la a passar. “Preciso aumentar 10 pontos do que tirei nas outras etapas. Estudei muito para isso”, completou.


Unicamp

Júlia e os amigos Luiz Phelipe Lopes, 18 anos, e Letícya Sousa, 17, estudam no Sigma. Eles tinham feito a inscrição para a primeira fase da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), única das instituições paulistas que aplica prova em Brasília. Pagaram R$ 140. Mas, oito dias depois, foi divulgada a data da terceira etapa do PAS e eles tiveram que desistir da oportunidade. “Pensamos que o PAS seria mais para o fim do ano, mas acabou ficando para 23 de novembro. Minhas notas nas primeiras etapas são muito altas. Tenho grandes chances de passar pelo PAS, por isso, decidi abandonar a oportunidade de fazer o vestibular da Unicamp”, lamentou Luiz, interessado em uma vaga para o curso de arquitetura.

Letícya também tem bons motivos para esquecer os R$ 140 investidos na inscrição paulista e fazer o PAS. “A Unicamp era mais uma chance. No entanto, tenho boa pontuação para entrar na UnB. Embora não seja garantia, já estou familiarizada com as provas e vou tentar a UnB”, disse a concorrente ao curso de relações internacionais. Ela está atenta ainda às novas regras para a prova de 23 de novembro. Sabe que não poderá entrar com alimentos em embalagens que não sejam transparentes. “Nem é tão trabalhoso assim. É só se organizar. Melhor prevenir e garantir que não terei problemas.”



Fique atento

  • Data da 3ª etapa do PAS: 23 de novembro
  • Horário de aplicação: 13h
  • Abertura dos portões: 12h (de Brasília)
  • Tempo para realizar as provas de conhecimentos e de redação: 5h
  • Local das provas: a pesquisa é individual por meio do site: http://www.cespe.unb.br/pas/
Tags:

publicidade

publicidade