SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Escola de Taguatinga recebe visita do ministro da Educação

Representante do governo conheceu o programa Conexão Mundo, que ensina inglês para alunos do Sesi

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/07/2015 17:44 / atualizado em 17/07/2015 18:02

Ed Alves/CB/D.A Press
Estudantes do Sesi Taguatinga e do Sesi Gama estão vivendo uma experiência diferente nestas férias. O programa Conexão Mundo oferece aos alunos do Sesi e do Senai a oportunidade de aprender inglês em contato direto com americanos. Para conhecer a experiência da iniciativa, o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, visitou o Sesi Taguatinga na manhã desta sexta-feira (17). "A ideia do evento é que os alunos possam mostrar o que é o programa para o ministro", explicou Sérgio Moreira, diretor-adjunto de Educação e Tecnologia da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os convidados puderam conhecer o Conexão Mundo por meio de apresentações de música, pequenas encenações e depoimentos de participantes do Brasil, dos Estados Unidos e até mesmo de outros estados brasileiros em conexão ao vivo pela internet.

O programa, que tem duração de cinco meses, começa todos os anos em abril. Os interessados em participar devem realizar uma prova de proficiência em inglês. Os aprovados são divididos em turmas e passam a ter aulas on-line com professores americanos. Facebook, hangouts do Google e Top Notch (uma plataforma para exercitar a gramática) são as plataformas utilizadas nesse primeiro contato.

Após dois meses em contato on-line, os professores viajam para o país e convivem com os alunos durante um mês. Anna Victória Ronska, 15 anos, aluna do 2º ano, acredita que a interação com novos amigos, a mistura de culturas e as brincadeiras tornam o aprendizado mais divertido. Ela explica que nessa fase é possível ter uma noção real do programa.

Na terceira etapa, os professores voltam para os Estados Unidos e o contato volta a ser realizado on-line. Ao término, os alunos que se destacaram viajam para os Estados Unidos por duas semanas para uma etapa de imersão. "Eu quero fazer mestrado e doutorado na área de direito e quero escrever artigos durante a graduação. O inglês vai me ajudar muito. Minha mãe não teve a oportunidade de me colocar em um curso, então essa é uma oportunidade muito boa", revela a aluna do 1º ano Thaylla Aquiló, 15 anos.

O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, acredita que o programa mostra o caráter vivo da língua e proporciona o conhecimento de uma forma alegre e rica. "É para conhecer que eu vim aqui. Da parte do governo, nós temos interesse em todas as experiências boas para que possamos aprender com elas", afirmou.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade

publicidade